Comprova

Torcidas organizadas negam ato contra Bolsonaro em São Paulo

No mesmo local, ex-presidente pretende reunir apoiadores para uma manifestação

  • Foto do(a) author(a) Projeto Comprova
  • Projeto Comprova

Publicado em 22 de fevereiro de 2024 às 22:40

Falso: É falso que torcidas organizadas de futebol estão planejando um ato pela democracia e contra Jair Bolsonaro (PL) no dia 25 de fevereiro, na Avenida Paulista, em São Paulo. Nessa data e no mesmo local, o ex-presidente pretende reunir seus apoiadores para uma manifestação em que quer se defender de acusações que vem sofrendo. O Comprova contatou cinco das oito torcidas citadas em posts virais, e elas negam tal convocação.

Conteúdo investigado: Posts dizendo que torcidas organizadas como a Gaviões da Fiel, do Corinthians, e a Independente, do São Paulo, marcaram um ato em defesa da democracia e contrário a Jair Bolsonaro (PL) no dia 25 de fevereiro, às 15h30, na avenida Paulista, em São Paulo.

Torcidas organizadas negam ato contra Bolsonaro em São Paulo
Torcidas organizadas negam ato contra Bolsonaro em São Paulo Crédito: Projeto Comprova

Onde foi publicado: X e Facebook.

Conclusão do Comprova: Posts afirmando que torcidas organizadas de alguns dos principais times de futebol do Brasil estão organizando um ato em São Paulo, em 25 de fevereiro, em defesa da democracia e contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), são falsos. As publicações citam Mancha Alvi Verde, do Palmeiras; Gaviões da Fiel, do Corinthians; Independente, do São Paulo; Galoucura, do Atlético-MG; Máfia Azul, do Cruzeiro; Raça Rubro-Negra, do Flamengo; Força Jovem, do Vasco; e Fúria Jovem, do Botafogo. As cinco primeiras negaram ter feito tal convocação. O Comprova não conseguiu contato com as três últimas.

A Mancha Alvi Verde publicou nota em suas redes afirmando que não fez qualquer “convocação para que seus associados compareçam a manifestações de cunho político e desaprova a utilização indevida de seu nome em publicações apócrifas nas redes sociais”.

Danilo Pássaro, torcedor da Gaviões da Fiel e um dos organizadores de ato que uniu as torcidas pela democracia em 2020, postou serem falsas notícias sobre a “articulação das torcidas para confrontar os bolsonaristas”. Na publicação, ele escreve que “o que nos uniu em 2020 foi a defesa da democracia, algo que avaliamos não ser necessário por enquanto”.

Sobre a Independente, Henrique Gomes, o Baby, um dos principais líderes da torcida, afirmou que não há nada organizado. “A Independente respeita a democracia, a esquerda, a direita e o centro. Quem quiser ir, vai, mas a Independente, o CNPJ, não chamou para nada”, disse ao Comprova.

Entre as torcidas mineiras, o presidente da Galoucura, Josimar Júnior, declarou que a torcida não participa de ato político. Já o vice-presidente da Máfia Azul, Raphael Ceraso, afirmou desconhecer “essa tal convocação em ‘ato nacional em defesa da democracia'”.

Segundo os posts, o ato seria às 15h30, na Avenida Paulista, mesmo local para onde Jair Bolsonaro (PL) chamou seus apoiadores para uma manifestação no mesmo dia, meia hora antes. Em post com vídeo publicado em 12 de fevereiro, o ex-presidente convoca bolsonaristas para um ato pacífico e diz: “Quero me defender de todas as acusações que estão sendo imputadas à minha pessoa nos últimos meses”.

Ao Comprova, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo afirmou que a Polícia Militar foi informada sobre manifestações no dia 25, “mas que não houve detalhamento”. A prefeitura também foi procurada, mas não respondeu até a publicação deste texto.

Falso, para o Comprova, é o conteúdo inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma falsidade.

Alcance da publicação: O Comprova investiga os conteúdos suspeitos com maior alcance nas redes sociais. Até 16 de fevereiro, apenas três posts no X verificados aqui somavam 8 mil curtidas e mais de 2,3 mil compartilhamentos.

Como verificamos: Buscamos posicionamentos oficiais das torcidas e, como apenas a Mancha Alvi Verde havia feito uma publicação a respeito, entramos em contato com as organizações por WhatsApp ou telefone. Também contatamos, por e-mail, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, que nos respondeu, e a prefeitura de São Paulo, que não retornou.

O que diz o responsável pela publicação: A reportagem contatou os perfis que publicaram os conteúdos virais por meio de mensagem no próprio post, mas nenhum respondeu.

O que podemos aprender com esta verificação: Em 2020, houve um ato em que torcidas organizadas se uniram pela defesa da democracia, mas é sabido que elas não costumam se relacionar de forma amigável. O primeiro passo ao se deparar com posts dizendo que elas estão juntas em alguma ação, é que o leitor desconfie e, então, tente buscar a informação fora das redes sociais, em sites de veículos de imprensa.

Por que investigamos: O Comprova monitora conteúdos suspeitos publicados em redes sociais e aplicativos de mensagem sobre políticas públicas e eleições no âmbito federal e abre investigações para aquelas publicações que obtiveram maior alcance e engajamento. Você também pode sugerir verificações pelo WhatsApp +55 11 97045-4984.

Outras checagens sobre o tema: Além do Estadão Verifica, Alma Preta e Aos Fatos também investigaram o conteúdo. No Comprova, outros posts com desinformação envolvendo torcidas já foram checados, como o que enganava ao dizer que a torcida do Vasco havia recebido Lula e Eduardo Paes e o que mentia ao associar ao petista vídeo de abordagem da Polícia Militar a torcedores do Sport.