A silenciosa última sessão de cinema do Center Lapa

Os poucos frequentadores das salas, abertas há 21 anos, foram pegos de surpresa com o fim das atividades

Publicado em 30 de setembro de 2017 às 14:46

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Foto: Evandro Veiga/CORREIO

Depois de 21 anos de funcionamento, as duas salas de cinema do Shopping Center Lapa, no Centro de Salvador, fizeram as últimas exibições neste sábado (30). Com os filmes It: A Coisa, Divórcio e Feito na América, o cinema encerrou suas atividades no local, para a surpresa dos poucos frequentadores das salas.

Por mais de duas décadas, o espaço foi a opção de lazer para os moradores da região e para uma camada da população que via na localização central e nos valores praticados os melhores atrativos para frequentá-lo.

Moradora da Avenida Joana Angélica, a secretária aposentada Jacira Azevedo lamentou o fechamento das salas. “Foi um choque saber que hoje (sábado) será o último dia de funcionamento dessas salas, afinal, já perdemos o Politeama, (Cine) Bahia e Tamoio. Parece que o tempo dos pequenos cinemas acabou", analisa, ressaltando que além da proximidade de casa, o cinema do Lapa tem como vantagem o preço do ingresso (R$ 7 e R$ 14) e a pipoca oferecida no ato da compra.

Jacira diz que esperava poder assistir mais um filme da série dos Cinquenta Tons de Cinza no local. "Frequento esse cinema desde a inauguração. Os cinemas de outros shoppings podem até ser mais sofisticados e bonitos, mas além de muito mais caros, não têm o charme daqui", defende. Jacira Azevedo lamentou o fechamento das salas do espaço que frequenta desde a inauguração em 1996 (Foto: Evandro Veiga/CORREIO) O motorista Robson Aragão, 38, que aproveitou o sábado para levar os filhos para passear, também se assustou com o anúncio do encerramento das atividades. Robson Aragão e os filhos aproveitaram uma das sessões derradeiras (Foto: Evandro Veiga/CORREIO) “Frequento esse espaço desde a adolescência, quando vinha com meus pais. Estou em choque”, lamentou, pontuando que ia ao Cine Lapa pelo menos uma vez por mês. "É cômodo. Dá para resolver qualquer coisa aqui pelo Centro, comer e pegar um cineminha", lista. Maria Conceição Silva conta que chegava a distribuir mais 500 pacotes de pipoca num dia; ultimamente, eram menos de 100 (Foto: Evandro Veiga/CORREIO) Colaboradora do espaço há 14 anos, Maria da Conceição Silva, 37, também lamenta a perda das salas e do emprego. “Vou sentir muita falta disso aqui. Foi uma vida trabalhando”, conta a funcionária, lembrando que nos períodos áureos chegava a distribuir mais de 500 pacotes de pipoca e que, agora, com a crise e a escassez de clientes, distribui diariamente menos de cem pacotes.

Vale salientar que a sala 1 do Orient Filmes no Center Lapa tem capacidade para 212 pessoas, enquanto a sala 2 possui 196 lugares. Neste sábado, na primeira sessão do dia, com a exibição do filme Feito na América, só havia três pagantes num espaço que poderia abrigar 65 vezes esse número.

Representante do grupo Orient na Bahia, Hilmara Oliveira afirma que o grupo não tem mais interesse nos cinemas do Lapa porque, além da operação estar deficitária, as unidades estão fora do padrão das demais salas do complexo Orient. Foto: Evandro Veiga/CORREIO