Quixeramobim: Espetáculo marca volta de Ricardo Castro ao Molière

Peça mescla drama, poesia, realidade e ficção; assinantes CORREIO têm desconto especial

  • D
  • Da Redação

Publicado em 19 de abril de 2023 às 20:24

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Divulgação

Depois das temporadas em 2021 e 2022, o ator Ricardo Castro volta ao palco do Teatro Molière, da Aliança Francesa, com o espetáculo Quixeramobim, um dos sucessos do seu repertório de criações teatrais. 

 A proposta da montagem é aprofundar a linha tênue que separa/mescla realidade e ficção, a partir da história de amor de um pai por sua filha, cuja vida é povoada por grandes e icônicas personalidades nordestinas. Assinantes CORREIO que forem às sessões do próximo final de semana (22 e 23) têm 40% de desconto no ingresso, que custa R$60 e está à venda no Sympla.

Criada sob encomenda para ser uma comédia, a peça que teve sua primeira temporada no final de 2021, sofreu reviravoltas durante o processo de escrita. Após uma notícia verídica ocorrida na cidade cearense de Quixeramobim, que só é revelada ao público durante o espetáculo, o rumo da montagem mudou completamente, e passou a contar com elementos mais poéticos, dramáticos e um discurso mais contundente sobre a justiça social. 

Na trajetória do ator, esse é o seu sétimo espetáculo solo, dentro do projeto Solo Fértil, que vem conduzindo desde 1999, com a estreia de R$1,99.

A peça segue o formato-base da sua Companhia de um Homem Só: o ator cria e executa todas as funções criativas de um espetáculo teatral. Vai do texto à atuação, passando pela direção, iluminação, cenografia, figurino, maquiagem, trilha sonora e produção. 

Desde então, o autor tem optado por encenar espetáculos teatrais sem alguém para contracenar. “Trabalho sem trégua todos os dias da semana. Toda a parte criativa é criada simultaneamente, tendo como principal objetivo, dar suporte ao intérprete, para que possa realizar sua mulher performance”, revela Ricardo.

A cenografia, assim como o figurino, tem influência das xilogravuras que ilustram os cordéis vendidos em feiras populares do Nordeste e da obra do pintor Alfredo Volpi, que se destaca por suas paisagens e temas populares e religiosos. A trilha sonora tem como ponto central as composições de Fausto Nilo, filho de Quixeramobim, assim como o beato revolucionário Antônio Conselheiro.

Esta nova temporada é uma realização da Carambola Produções e traz o apoio da Luminosa Produções Artísticas, atual gestora do Teatro Molière.