"É casamento com data para acabar", diz presidente do Bahia sobre a Arena Fonte Nova

Através de sua conta na rede social Twitter, Marcelo Sant'Ana criticou a administração da Arena

Publicado em 11 de fevereiro de 2016 às 15:45

- Atualizado há 10 meses

(Foto: Reprodução/Twitter)O presidente do Bahia, Marcelo Sant'Ana, protestou contra as condições estabelecidas pela concessionária Arena Fonte Nova com a equipe tricolor. Através de sua conta na rede social Twitter, o cartola afirmou que por maior que seja o esforço, é impossível levar o torcedor ao estádio com esse "parceiro".

"Por mais que o Bahia se esforce fica difícil atrair torcida para Fonte Nova tendo este consórcio como 'parceiro'. É 'casamento' com data para acabar", declarou o presidente na tarde desta quinta-feira (11).

A postagem de Sant'Ana recebeu o apoio de muitos seguidores no microblog. "Realmente difícil. A administração da Arena teima em fazer péssima gestão e atendimento aos torcedores", comentou um torcedor. "Boa, presidente! A torcida não aguenta mais essa arena", comemorou outro.

Outros membros da torcida ainda pediram o retorno do mando de campo do Bahia ao estádio de Pituaçu, principal palco do acesso do clube à Série A em 2010. "Apoiado meu presida, se o consórcio continuar vamos para o PituAço", opinou um.

Em uma segunda postagem, Sant'Ana criticou a falta de direcionamento na administração do consórcio. "Em 14 meses no Bahia, negociei com três presidentes, vários diretores e gerentes. Como construir relação assim? E confiança? E cumplicidade?", completou.

Procurado pelo CORREIO, o dirigente não atendeu as ligações. No entanto, o fato novo no contexto é o aumento do preço das bebidas na Fonte Nova. A partir desta quinta (11), quando o Bahia recebe o Flamengo de Guanambi às 20h30, a cerveja passará de R$ 6 para R$ 7 e o refrigerante vai de R$ 5 para R$ 6 - reajuste de 16% e de 20%, acima da inflação de 10,67%.

O Bahia é contra o aumento, mas não determina o preço nos bares, nem a concessionária Arena Fonte Nova. O reajuste é prerrogativa do consórcio Food Team, que opera os bares e lanchonetes da Fonte Nova, além do Maracanã e da Arena Pernambuco. Desde a renovação do contrato feita em 2015, o clube recebe um percentual sobre a venda dos itens dos bares e lanchonetes.

O consórcio Food Team não foi localizado pela reportagem. A Arena Fonte Nova informou que vai se pronunciar nas próximas horas.