Banco do Brasil anuncia acordo para construir novo Centro Cultural em Salvador

A assinatura será na próxima sexta-feira (22)

  • Foto do(a) author(a) Alô Alô Bahia
  • Alô Alô Bahia

Publicado em 14 de março de 2024 às 09:14

Palácio da Aclamação
Palácio da Aclamação Crédito: Mateus Pereira/GOVBA

O Banco do Brasil e o Governo do Estado assinam nesta semana um protocolo de intenção para a criação do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em Salvador. A assinatura será na próxima sexta-feira (22) e foi comunicada aos funcionários através de um comunicado interno nesta quinta-feira (14).

A intenção é que o novo CCBB Salvador – Bahia seja instalado no Palácio da Aclamação, localizado no bairro do Campo Grande, que receberá reforma de ampliação e modernização.

Para a escolha da cidade a sediar o seu quinto Centro Cultural, o BB estabeleceu parâmetros objetivos. Entre as capitais avaliadas, Salvador foi a que obteve maior nota final na análise de critérios como população do estado, população da capital, cidades criativas, cidades inteligentes e arrecadação federal da capital do estado com turismo.

De acordo com o comunicado, a escolha está alinhada à essência do propósito do CCBB, que é ampliar a conexão dos brasileiros com a cultura, em suas diferentes formas, dialogando com duas importantes premissas de nosso eixo curatorial: identidades, que busca tratar da redescoberta de nossas origens, suas narrativas e símbolos, do resgate da ancestralidade, desafios de inclusão, entre outros; e Pluralidade Cultural, que preza, entre outras coisas, por considerar a diversidade étnico-racial e a riqueza de manifestações regionais brasileiras.

Primeira capital do Brasil, entre 1549 e 1763, Salvador é uma das cidades mais antigas do continente americano e considerada a mais negra fora do continente africano. Foi integrada à Rede de Cidades Criativas, da Unesco, e chegou a receber o título de “Cidade da Música”.

Projeto CCBB Salvador-Bahia Crédito: Reprodução

“Vivemos um cenário em que o setor criativo é um importante formador de inovação econômica e social, com grande potencial para a geração de empregos e de fomento à economia”, afirma a presidenta do banco, Tarciana Medeiros.