Após deixar prisão, goleiro Bruno acerta com time mineiro

esportes
13.08.2019, 20:18:00
Atualizado: 13.08.2019, 20:33:51
(Foto: Wander Roberto/VIPCOMM)

Após deixar prisão, goleiro Bruno acerta com time mineiro

Ex-atleta do Flamengo, porém, ainda precisa de uma autorização da Justiça para treinar

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O goleiro Bruno Fernandes é o mais novo contratado do Poços de Caldas FC. O próprio presidente do clube, Paulo César da Silva, confirmou que o ex-jogador do Flamengo já acertou a ida ao time e deve ser apresentado nos próximos dias. Deve se juntar ao elenco que irá disputar a terceira divisão do Campeonato Mineiro no segundo semestre do ano que vem.

A informação foi dada, inicialmente, pelo Jornal Mantiqueira, de Poços de Caldas, e confirmada com Paulo César pelo Globoesporte.com.

Atualmente, Bruno vive em Varginha, também em Minas Gerais. Para se mudar para Poços de Caldas e começar a treinar,  precisaria de uma permissão da Justiça. Isso pois cumpre regime semiaberto pelo homicídio de Eliza Samúdio e sequestro e cárcere privado de Bruninho, seu filho.

Segundo a advogada Mariana Migliorin, ao Globoesporte.com, a ideia é que ele siga morando em Varginha, mas que tenha uma autorização especial para treinar no Poços de Caldas. 

"Ele vai estar assinando o contrato no dia da apresentação, na Urca, a gente vai agendar o dia para ele assinar o contrato. Isso deve ocorrer em seis dias, nós estamos fazendo a montagem do time, fazendo outras contratações, porque o time vai estar participando de um torneio e fazendo alguns amistosos preparando para 2020", afirmou o presidente do time ao Globoesporte.com.

Passagem pelo Boa Esporte
Bruno chegou a atuar em um time após a prisão - em setembro de 2010 - e a condenação pelos crimes - em março de 2013: o Boa Esporte. Em fevereiro de 2017, o goleiro foi solto por uma liminar do Superior Tribunal Federal (STF)  e voltou ao futebol profissional. 

A estreia, pelo Módulo 2 do Campeonato Mineiro, em abril daquele ano, foi marcada por um pênalti cometido pelo próprio. Na partida, o time empatou com o Uberaba em 1x1.

Na época, a contratação de Bruno pelo Boa não pegou bem entre os patrocinadores. Uma empresa de nutrição rompeu a parceria com o clube, que perdeu também o patrocinador master e a fornecedora de material esportivo. Apesar disso, o goleiro foi ovacionado no Estádio Municipal de Varginha.

Bruno chegou a fazer cinco partidas e sofreu quatro gols. No fim de abril, a medida foi revogada e ele voltou à prisão.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas