CR7 comenta acusação de estupro: 'Não estou preocupado'

esportes
22.10.2018, 16:05:00
Atualizado: 22.10.2018, 16:06:12
CR7 voltou a negar que tenha estuprado a ex-modelo americana Kathryn Mayorga (Foto: Oli SCARFF / AFP)

CR7 comenta acusação de estupro: 'Não estou preocupado'

Durante coletiva da Juventus, astro português voltou a falar sobre as acusações

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Envolvido em uma denúncia de estupro, o atacante Cristiano Ronaldo voltou a falar sobre o tema. Durante coletiva da Juventus, que enfrenta o Manchester United, nessa terça-feira (23), pela Liga dos Campeões da Europa, CR7 afirmou que não está preocupado com as acusações e que é um exemplo dentro e fora de campo. 

"Duas semanas atrás soltamos um comunicado... Estou muito feliz. Não estou preocupado com essa situação. Meus advogados estão comigo. Estou curtindo a minha vida, o futebol. O resto, deixo as pessoas tomarem conta. E vamos ver o que vai acontecer, mas estou feliz", disse o português.

"Sei que sou exemplo dentro e fora de campo. Por isso, estou sempre sorrindo. Sou abençoado, tenho tudo: jogo num clube fantástico, tenho uma família, quatro filhos, sou saudável. O resto não interfere. Sou muito feliz", continuou o jogador.

Cristiano Ronaldo foi acusado de estupro pela ex-modelo Kathryn Mayorga, em setembro deste ano. Hoje com 34 anos, Mayorga alega ter sido abusada sexualmente pelo português em um quarto de hotel em Las Vegas, em 2009. Os dois teriam se conhecido em um clube e, mais tarde, Kathryn Mayorga diz que o jogador da Juventus a estuprou.

Cristiano Ronaldo teria pago US$ 375 mil (R$ 1,5 milhão pela cotação atual) a Kathryn Mayorga para que ela não tornasse o caso público. À Der Spiegel, a mulher disse que aceitou a oferta do português à época por temer por ela e sua família.

Segundo Kathryn Mayorga, o jogador teria perguntado, depois de estuprá-la, se ela tinha dores e, de joelhos, afirmou: "Sou 99% bom, não sei o que é este 1%". A mulher teria dito várias vezes "não" e "para" a Cristiano Ronaldo. Ela trabalhava em uma escola primária, mas recentemente saiu do emprego.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas