Se livre das multas: veja situações que podem ser evitadas no trânsito

autos & etc
06.02.2021, 06:11:00
Esquecimento ou falta de atenção podem ser prejudiciais para a segurança, para o bolso e para a CNH do motorista (Imagem: Vectorjuice/Freepik.com)

Se livre das multas: veja situações que podem ser evitadas no trânsito

Dirigir sem ter consciência do código de trânsito pode causar um abalo no seu orçamento e trazer risco para outras pessoas

Concorde ou não, a lei é para todos. E isso é válido também no trânsito. E por mais que o motorista não aceite, se há uma regra, ela deve ser cumprida. Mas muitas coisas não são lembradas e o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê sanções em quatro categorias: leves, médias, graves e gravíssimas.

Então, se você não lembrar das multas que vou citar a partir de agora é um bom momento para reler o CTB e evitar que seu orçamento seja impactado. Além disso, o descumprimento das regras pode causar um acidente. Depois não adianta bradar "Indústria da multa" nas Redes Sociais, isso não vai resolver.

Até atos que podem parecer simples, como deixar de sinalizar ao mudar de faixa são passíveis de multa. Neste caso, o condutor irá cometer uma infração grave e o custo disso é de R$ 195,23. Além de ganhar 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). 

Também não se pode estacionar o carro em qualquer lugar. Mesmo que não exista uma placa, é proibido fazer isso na faixa de pedestre, pontes e viadutos. Sanção de 5 pontos na CNH e multa de R$ 195,23.

Outras situações que você pode não lembrar:

Pane seca
Preste atenção ao marcador de combustível do seu veículo. Rodar com ele na reserva pode danificar a bomba de combustível e se o veículo parar na rua por falta de gasolina, etanol, GNV, diesel ou até energia elétrica, o motorista estará cometendo uma infração média. A multa é de R$ 130,16.

Molhar pedestres
Além do cuidado extra ao dirigir com a pista molhada, preste atenção nos pedestres. Cuidado para não molhá-los. Essa conduta é considerada infração média e gera multa no valor de R$ 130,16.

Buzinar sem motivo
O uso da buzina deve ser consciente, não é algo para expressar raiva ou felicidade. Ela só deve ser acionada com o objetivo de alertar pedestres e outros motoristas. Seu uso indevido é considerado infração leve com multa no valor de R$ 88,38. Se houver sinalização específica contra o uso do equipamento, como próximo a hospitais, nem como alerta ela deverá ser acionada.

Manipular o celular
Se você está no carro não pode manusear o celular/smartphone. Nem mesmo quando o veículo está parado em um sinal ou no engarrafamento. Se precisar usar para passar uma mensagem ou ligar um aplicativo de GPS, estacione. Manusear, ou até mesmo segurar, o aparelho enquanto dirige é considerado infração gravíssima e gera multa de R$ 293,47. 

Transitar com o som alto
O volume do som não pode ser regulado ao bel-prazer de quem está no veículo. Se ele extrapolar o bom senso você pode estar cometendo uma infração grave e receber multa no valor de R$ 195,23. Se o veículo produz algum ruído, como um escapamento aberto, em desacordo com o previsto pelo Contran, a multa é de R$ 130,16.

Trafegar em velocidade muito baixa
Normalmente, as pessoas lembram que andar acima da velocidade máxima é proibido, mas o contrário também é. Existe um limite mínimo, que é sempre a metade da velocidade máxima permitida. Trafegar abaixo disso configura infração média com multa no valor de R$ 130,16.

Transitar em marcha à ré
Essa marcha deve ser usada exclusivamente para pequenas manobras, caso contrário, configura infração grave e acarreta multa no valor de R$ 195,23.

E sabe aquelas marcações brancas, que formam um desenho, como se fossem a continuação de um canteiro? Oficialmente são chamadas de marca de canalização. Transitar sobre eles pode sair bem caro no bolso e na CNH. Vai custar R$ 880,41 e agregar sete pontos ao prontuário pois é uma infração gravíssima.

Transitar por uma faixa de canalização, como a apontada na imagem, pode render uma multa de R$ 880,41 (Imagem: Freepik.com)


Salvador tem redução de 47% do número de multas aplicadas de 2016 a 2020
As multas de trânsito seguem em queda permanente em Salvador. Durante todo o ano passado,  a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador)  emitiu  504.827 multas - 382 a menos em relação a 2019.  A queda é ainda mais acentuada quando a comparação ocorre  com  2016, quando o total de penalidades  alcançou 953.195, ou seja, 47% a mais. Também houve queda em relação a 2018 (623.964 multas) e  2017 (857.075). Leia mais aqui. 

Recordistas em Salvador em 2020
1) Transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20%:
274.519 registro de notificações. É uma infração considerada média, que conta 4 pontos na CNH e custa R$ 130,16.

2) Estacionar em desacordo com a regulamentação - estacionamento rotativo (Zona Azul): 36.058 registro de notificações. É grave, custa R$ 195,23 e agrega 5 pontos na CNH.

3) Estacionar em local/horário proibido especificamente pela sinalização: 26.074 registro de notificações. Infração média, com custo de R$ 130,16 e 4 pontos na CNH.

4) Transitar na via/faixa de trânsito exclusiva para ônibus: 25.672 registro de notificações. É gravíssima, custa R$ 293,47 e são agregados 7 pontos na CNH.

5) Avançar o sinal vermelho do semáforo: 23.744 registro de notificações. Também é gravíssima, custa R$ 293,47 e são agregados 7 pontos na CNH.

Os principais locais
As avenidas Paulo VI, na Pituba, Presidente Castelo Branco, no Vale de Nazaré, e Mário Leal Ferreira, conhecida como Bonocô, são os locais onde mais foram registradas infrações de trânsito em 2020.

Mas o principal ponto de flagrantes de infrações da cidade fica na Pituba. Só Avenida Paulo VI, na interseção com a Rua das Camélias, a Transalvador registrou 15.504 infrações.

Os trechos do Vale de Nazaré, próximo a um centro automotivo que há na via, no sentido Centro, e a Bonocô, próximo ao posto BR, também no sentido Centro, ficam em segundo e terceiro lugar nesse ranking, com 11.456 e 10.425 flagrantes de infrações, respectivamente.

Tipos de captura
Das 509.012 infrações cometidas em Salvador em 2020, 49,48% foram capturadas por smartphones. 42,49% foram registradas por radares, 7,2% por videomonitoramento e apenas 0,33% de forma manual.

Entre os meses, setembro (com 58.300 notificações) foi o mês com maior volume. Fevereiro (58.132) e agosto (56.033), vieram na sequência.

Da frota circulante em Salvador, 18,89% foram autuados. A maioria foi de automóveis e comerciais leves, com 65,23% das notificações. As motocicletas ficaram em segundo lugar, com 14,65%.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas