Tóquio-2020 pode acontecer sem a presença de público estrangeiro

esportes
03.03.2021, 14:47:00
Atualizado: 03.03.2021, 14:47:58
Autoridades japonesas estudam diversos cenários para a realização de Tóquio-2020 (Foto: Shutterstock/Reprodução)

Tóquio-2020 pode acontecer sem a presença de público estrangeiro

Governo do Japão avalia opção e tomará decisão a partir das opiniões de autoridades sanitárias

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O governo do Japão planeja realizar os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, adiados em um ano por causa da pandemia do novo coronavírus, sem a presença de torcedores estrangeiros. Nesta quarta-feira (3), após uma reunião por videoconferência do Comitê Organizador com as autoridades de saúde do país e membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) e Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês), ficou definido que a decisão final sobre o assunto será dada no final deste mês.

"Como a situação da covid-19 muda a cada momento, acreditamos ser essencial tomar uma decisão com a maior certeza possível", disse Seiko Hashimoto, presidente do Comitê Organizador, em uma entrevista coletiva. "A decisão pela entrada ou não de estrangeiros para ver os Jogos se tomará a partir das opiniões das autoridades sanitárias e da situação da disseminação da covid-19 tanto no Japão como em outros países".

"Estamos em uma situação muito difícil e as decisões devem ser tomadas com cuidado", afirmou a ministra olímpica Tamayo Marukawa. As autoridades japonesas estudam diversos cenários para a realização da Olimpíada - de 23 de julho a 8 de agosto - e da Paralimpíada - de 24 de agosto até 5 de setembro.

Parte da população japonesa se opõe aos eventos esportivos em meio à pandemia. Uma pesquisa realizada em janeiro mostrou que mais de 75% dos entrevistados gostariam que os Jogos fossem cancelados ou novamente adiados. O COI já avisou que não vai adiar a Olimpíada. Se ela não acontecer na nova data, será cancelada.

Tóquio está em estado de emergência desde janeiro e, apesar do número de infecções diárias ter diminuído nos últimos dias, essa bandeira será estendida para a região metropolitana em mais duas semanas. O governo japonês planeja gastar US$ 68 milhões (quase R$ 390 milhões na cotação atual) para o desenvolvimento de um aplicativo de rastreamento de pessoas. Todos os visitantes estrangeiros seriam obrigados a tê-lo em seus celulares. A oposição acredita, no entanto, que a ferramenta não será capaz de evitar a propagação do vírus.

Um relatório provisório redigido pelo governo japonês e divulgado em dezembro de 2020 informa que os visitantes estrangeiros não precisariam seguir regras de quarentena de 14 dias ao entrarem no Japão e que eles teriam permissão para usar o transporte público. O Japão começou na semana passada sua campanha de vacinação. Embora não haja uma definição sobre a participação do torcedor, o COI mantém seu encaminhamento de realizar os Jogos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas