MÚSICA E LIVRO

Livro revela a história por trás dos maiores shows brasileiros

'Os 50 Maiores Shows da Música Brasileira' inclui os mais importantes artistas baianos, como Caetano, Gil, Bethânia e Ivete

  • Foto do(a) author(a) Roberto Midlej
  • Roberto Midlej

Publicado em 11 de maio de 2024 às 06:00

A edição de luxo é em capa dura, com pôsteres destacáveis, que reimaginam dez das mais emblemáticas apresentações que estão na obra
A edição de luxo é em capa dura, com pôsteres destacáveis, que reimaginam dez das mais emblemáticas apresentações que estão na obra Crédito: reprodução

Em 2022, o jornalista e pesquisador musical Luiz Felipe Carneiro lançou o livro Os 50 Maiores Shows da História da Música, em que contava a história de grandes espetáculos internacionais, de artistas e bandas como Beatles, Queen e David Bowie. Desafiado por um colega a fazer um título similar voltado para artistas brasileiros e topou a empreitada, desde que o colega, Tito Guedes, se juntasse a ele. Pois a dupla se juntou e lançou Os 50 Maiores Shows da História da Música Brasileira (Belas Letras/ R$ 160/ 304 págs.).

A seleção contempla diversos períodos e estilos da música brasileira, indo desde 1962 - com um espetáculo que reuniu Tom Jobim, Vinicius de Moraes e João Gilberto - até 2023, com a reunião dos Titãs na turnê Encontro. Luiz Felipe reconhece que o gosto pessoal tem um peso na escolha dos shows: “Mas a gente tem que ser neutro. Às vezes, entra algo que a gente não curte tanto, mas reconhece que foi muito importante”. Por isso, a escolha tem uma virtude, que é contemplar os mais diversos gêneros: vai desde a Bossa até a MPB, passando por samba, rock e forró, com Luiz Gonzaga.

Um dos aspectos mais interessantes do livro é que ele não se restringe à qualidade musical dos shows ou a espetáculos com grande estrutura. Tão importante quanto isso é a história por trás das apresentações. É o caso de Elymar Santos, que, se não é uma estrela da música brasileira como outras que estão no livro, conseguiu um grande feito em 1985: apresentou-se no Canecão, templo sagrado da música no Rio de Janeiro naquela época.

“Aos 32 anos, quando era um cantor restrito ao circuito das churrascarias, Elymar Santos se endividou até o pescoço e alugou o Canecão por uma noite. Saiu de lá consagrado”, diz o texto, que ficou a cargo de Tito Guedes. Luiz Felipe, que não havia pensado naquele show como parte do livro, acabou convencido por Tito: “Se um texto do livro rendesse um filme, seria esse do Elymar”, revela Luiz Felipe.

Para o coautor do livro, muitos elementos contribuem para que um show seja considerado ‘histórico’ e não é apenas a música que importa. Ele cita, por exemplo, a apresentação que João Gilberto e Tom Jobim fizeram no Theatro Municipal do Rio, 1992. Já fazia 30 anos que o baiano não se apresentava naquela cidade: a última vez havia sido com o próprio Tom, no show citado no início do texto. “A crítica ‘bateu’ muito neste show, mas é inegável que foi histórico, porque havia 30 anos que os dois papas da Bossa Nova não tocavam juntos”, diz Luiz Felipe.

E, por falar em João Gilberto, a Bahia aparece com frequência no livro, representada por Caetano, Gil, Bethânia, Gal - esses quatro aparecem em shows solo e também na reunião dos quatro, Os Doces Bárbaros -, Caymmi, Daniela Mercury, Ivete e Novos Baianos.

Os 50 Maiores Shows da História da Música Brasileira é, como observa Luiz Felipe, não apenas um registro daquelas apresentações, mas um documento histórico sobre a evolução da indústria de shows no Brasil: “O primeiro show do livro é aquele de Tom e João Gilberto, num bar/restaurante, o Bon Gourmet, no Rio. E o último do livro é o dos Titãs, na Jeunesse Arena, com uma produção imensa, com telão, luz, marcação no palco…”.

Quatro décadas de Bon Jovi

Chegou ao Disney+ a série Thank You, Goodnight: A História de Bon Jovi, que conta a saga de quatro décadas de uma das bandas de rock mais populares do mundo, dona de sucessos como Livin’ On a Prayer e Bed of Roses. A produção em quatro episódios fala sobre o passado do grupo fundado em 1983 e chega ao presente, quando o vocalista Jon Bon Jovi revela que tem um problema nas cordas vocais que pode comprometer o futuro da banda. A produção mergulha em uma coleção de vídeos pessoais, demos inéditas, letras originais e fotos jamais vistas, contando a jornada da banda desde os humildes clubes da costa de Nova Jersey até os maiores palcos do mundo. O público revive não apenas os triunfos e sucessos estrondosos, mas também as adversidades e decepções mais profundas, assim como os momentos de tensão que se tornaram parte do folclore do grupo.

Homenagem a Ruth de Souza

Para celebrar os 103 anos de nascimento da atriz Ruth de Souza, o Itaú Cultural Play está incluindo em seu catálogo o filme Filhas do Vento, dirigido pode Joel Zito Araújo. No elenco, além da homenageada, estão Milton Gonçalves, Léa Garcia, Taís Araújo e Thalma de Freitas. O filme é passado numa pequena cidade mineira, onde as irmãs Cida e Ju têm objetivos distintos. Cida que ser atriz e, por isso, deseja sair daquele lugarejo. Enquanto isso, a outra só pensa em namorar. A relação entre as irmãs fica abalada quando o pai delas acusa injustamente Cida de estar se envolvendo com o namorado da irmã. Inconformada, Cida vai embora da cidade e retorna depois de 40 anos para encontrar Ju e tentarem um acerto de contas. Ruth de Souza interpreta Cida na segunda fase do filme. O Itaú Cultural Play é um serviço de streaming gratuito e só tem em seu acervo filmes brasileiros.