Priscila Fantin revela que tem depressão crônica: 'Minhas personagens são um antídoto'

Atriz descobriu diagnostico anos após gravar 'Alma Gêmea'

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 21 de junho de 2024 às 13:00

Priscila Fantin
Priscila Fantin Crédito: Redes sociais

Famosa por várias personagens, mas pela principal da sua carreira Serena, em Alma Gêmea, a atriz Priscila Fantin revelou que já tinha depressão crônica durante as gravações da trama de 2005.

Em bate-papo ao jornal O Globo, a artista contou que só foi diagnosticada anos após o fim da novela, mas sentia uma tristeza profunda desde os 19 anos. Atualmente ela entende como a doença mental age no corpo, na cabeça e no comportamento.

Sem saber dos sintomas na época, Priscila cumpriu suas obrigações como atriz durante anos, mas sempre com um incômodo interno. Com o tratamento correto, a artista comentou que precisa ficar sempre em alerta para se manter saudável e evitar que a depressão se instale de novo.

"A depressão nunca afetou meu trabalho. Não houve consequência para a minha interpretação e para a vida das personagens. Em 'Alma Gêmea', não tinha o diagnóstico, o peso de saber e o tratamento. Mas a Serena, por si só, já é um antidepressivo. Vivenciar as minhas personagens é um antídoto", comentou.

Com terapia e medicamentos certos, Priscila tem seguido com a vida artística. A primeira pessoa a saber da condição foi o diretor Pedro Vasconcelos, que a chamou para trabalhar na peça "A marca do Zorro", em 2010. Desde então, tem lidado melhor com suas inseguranças.

Por fim, ela lamenta que poderia ter sido diagnosticada ainda cedo, mas entende que pode ter chegado o diagnóstico na hora certa para começar o tratamento.