4 tipos de tratamento para a endometriose

O gerenciamento adequado dessa doença é importante para garantir uma melhor qualidade de vida para as pacientes

  • Foto do(a) author(a) Portal Edicase
  • Portal Edicase

Publicado em 7 de março de 2024 às 19:25

Imagem Edicase Brasil
A endometriose afeta cerca de 176 milhões de mulheres no mundo (Imagem: Alina.Alina | Shutterstock) Crédito:

A endometriose é uma doença que afeta milhões de mulheres em todo o mundo, com números alarmantes de incidência, como evidenciado pela Organização Mundial de Saúde. No Brasil, estima-se que mais de 7 milhões de mulheres a enfrentam.

Caracterizada pela presença anormal do tecido endometrial fora do útero, a condição pode variar em sua apresentação, desde casos assintomáticos até sintomas graves que impactam significativamente a qualidade de vida das pacientes.

O Dr. Thiers Soares, ginecologista especialista em endometriose, adenomiose e mioma, explica que os exames de rotina para o diagnóstico precoce são importantes porque possibilitam a intervenção adequada no estágio inicial da doença.

O tratamento adequado permanece essencial para gerenciar a condição, pois não só melhora a qualidade de vida das mulheres, aliviando dores e aumentando as chances de uma gravidez saudável, mas também pode ser realizado tanto clinicamente quanto por meio de intervenções cirúrgicas.

Neste contexto, entender os diferentes tipos de tratamento disponíveis é crucial para oferecer às mulheres afetadas as melhores opções de cuidado. Veja abaixo!

Procedimentos clínicos

Os procedimentos clínicos para tratamento da endometriose funcionam por meio de medicamentos que regulam a produção e a captação hormonal. Conheça os mais comuns:

  • Analgésicos e anti-inflamatórios: utilizados para proporcionar alívio das dores;
  • Tratamento hormonal: reduz a velocidade de crescimento do tecido endometriótico e ajuda a melhorar os sintomas.

Imagem Edicase Brasil
A cirurgia pode ser recomendada para tratamento de alguns casos de endometriose (Imagem: Satyrenko | Shutterstock) Crédito:

Procedimentos cirúrgicos

A cirurgia é recomendada quando existe a presença de células endometriais fora do útero , o que pode gerar sérias complicações e comprometer os órgãos afetados. Os tipos mais comuns de procedimentos cirúrgicos são:

Laparoscopia

A laparoscopia é uma cirurgia por via abdominal, minimamente invasiva e menos agressiva em comparação a outras. O procedimento proporciona menos dor e uma recuperação pós-operatória mais rápida, sendo um dos tratamentos cirúrgicos mais indicados no caso da endometriose. Nela, o cirurgião manuseia pinças retas com as mãos, introduz no abdômen da paciente e realiza as ações necessárias, como puxar, cortar, cauterizar e suturar as estruturas da endometriose .

A recuperação, geralmente, ocorre no período de uma semana a 15 dias. Durante esse tempo, a mulher deve ficar em repouso, com horários de sono regulares, não praticar exercício físico intenso e evitar relações sexuais. É possível que o ginecologista especializado recomende algum tipo de atividade mais leve, como uma caminhada.

Cirurgia robótica

A cirurgia robótica é um procedimento minimamente invasivo e menos agressivo, que utiliza a tecnologia mais avançada que existe atualmente na área da ginecologia, na qual o cirurgião tem acesso à assistência de um robô.

Por se tratar de um equipamento robótico, este tipo de cirurgia tem mais precisão em locais que geralmente são de difícil acesso. Além disso, ajuda na ergonomia do cirurgião, deixando os movimentos mais precisos e trazendo mais confiança para a paciente.

O pós-operatório requer cerca de um dia em observação (esse período depende também da doença que foi tratada), caso não tenha acontecido nenhum agravamento. Depois que tiver alta, a paciente receberá todas as recomendações médicas , como evitar atividades pesadas, corridas e outras ações que podem prejudicar a recuperação.

Por Beatriz Fernandes