5 erros que podem prejudicar o resultado da micropigmentação

Especialista explica como alguns cuidados são importantes para garantir um procedimento bem-feito

  • Foto do(a) author(a) Portal Edicase
  • Portal Edicase

Publicado em 15 de março de 2024 às 17:25

Imagem Edicase Brasil
A micropigmentação deve ser feita por um profissional qualificado para obter bons resultados (Imagem: dimid_86 | Shutterstock) Crédito:

A micropigmentação é um procedimento estético que envolve a aplicação de pigmentos na camada superficial da pele para melhorar ou modificar características específicas, como sobrancelhas, lábios e linha dos olhos.

De acordo com Adriana Alves, da rede de clínicas de medicina estética avançada Estúdio Mais, trata-se de uma técnica semipermanente, que geralmente dura de seis meses a um ano, dependendo do tipo de pele, dos cuidados pós-procedimento e da qualidade dos pigmentos utilizados.

“Para realizar a técnica, nós, profissionais, usamos um dispositivo manual ou uma máquina para inserir os pigmentos na pele através de pequenas perfurações. Isso cria a ilusão de cor e preenchimento, resultando em sobrancelhas mais definidas, lábios mais corados ou uma linha dos olhos mais marcada”, comenta ela.

Apesar de ser um procedimento extremamente simples, é importantíssimo que a escolha do profissional seja feita com muito cuidado. “Desde a higiene até os cuidados com o retoque da micropigmentação, tudo é muito importante para um resultado satisfatório”, pontua.

Pensando nisso, Adriana Alves lista alguns erros que podem prejudicar o resultado a micropigmentação. Confira!

1. Erro na avaliação prévia

Quando um cliente chega para fazer uma micropigmentação, seja ela nos lábios, nas sobrancelhas ou nos olhos, uma avaliação completa deve ser feita, incluindo histórico médico, alergias, sensibilidades e expectativas.

“O uso de determinados medicamentos e/ou alguma doença, seja ela crônica ou não, podem levar a complicações durante ou depois do procedimento”, explica Adriana Alves. Nesta avaliação, deve ser falado sobre tudo que envolva a saúde do cliente, garantindo a segurança e a satisfação com o resultado.

2. Higienização inadequada

Como estamos falando de um procedimento invasivo, ainda que minimamente, a higienização dos equipamentos e objetos utilizados deve ser feita com muito cuidado e atenção. “Qualquer erro ao higienizar objetos que vão entrar em contato com o sangue da pessoa pode acarretar riscos de infecções”, afirma a profissional.

3. Técnica inadequada

Como não existe apenas uma técnica para realizar a micropigmentação, essa escolha requer muita atenção. Neste caso, a especialista frisa que o conhecimento do profissional é fundamental para o desejo do cliente.

“Hoje temos muitas técnicas, como microblading , sombreado, entre outras. Se a pessoa quer algo mais natural, a escolha é uma, por exemplo. Por isso o conhecimento tem que estar alinhado com o que aquele paciente quer”, completa Adriana Alves.

Imagem Edicase Brasil
O pigmento da micropigmentação é absorvido naturalmente pela pele ao passar do tempo (Imagem: New Africa | Shutterstock) Crédito:

4. Profundidade da pigmentação na pele

A profundidade deve ter um meio-termo, ou seja, a pigmentação não pode ser muito superficial nem muito profunda. “O ideal é atingir somente a primeira camada da pele, a epiderme, chamamos de microesfoliação; trabalhando assim, promovemos mais versatilidade e naturalidade e, com o passar do tempo, o pigmento só vai sendo absorvido naturalmente pela pele e não há alteração em sua cor”, explica.

5. Tom da coloração

Existem tons de pele e pelos; a principal referência é o tom natural dos pelos das sobrancelhas. “Os cabelos podem mudar de cor a qualquer momento e isso não interferirá na cor da micropigmentação das sobrancelhas”, finaliza a profissional.

Por isso, o principal cuidado é optar por um profissional qualificado, preferencialmente com indicação, pois muitos erros podem ser evitados quando ele é qualificado.

Por Beatriz Bradley