Justiça acata pedido do Ministério Público, e médico acusado de matar a ex-namorada vai a júri

Acusado está preso desde o dia 3 de setembro de 2021, quando o crime ocorreu

Publicado em 7 de dezembro de 2023 às 19:46

Antônio Marcos se apresentou a polícia em 3 de setembro de 2021
Antônio Marcos se apresentou a polícia em 3 de setembro de 2021 Crédito: .

(Atualização às 18h50 do dia 08 de dezembro de 2023: A assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) informou à reportagem, na quinta-feira (7), que não houve júri popular neste dia. No entanto, o júri popular foi realizado e o médico Antônio Marcos Rêgo Costa foi condenado a 23 anos, 4 meses e 15 dias de prisão.)

A Justiça acatou pedido do Ministério Público da Bahia (MP), e o médico Antônio Marcos Rego Costa, acusado de ter matado a ex-companheira Gabriela Jardim Peixoto em 2021, irá a júri popular. O crime aconteceu em Feira de Santana.

De acordo com informações do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ), o acusado foi pronunciado por homicídio, segundo o artigo “121, § 2º, incisos I, IV, VI c/c § 2º-A, I; e do art. 211, ambos do Código Penal”.

O artigo 121. do Código Penal e os incisos relatados indicam o crime de matar alguém mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo, à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou impossibilite a defesa da vítima e feminicídio contra a mulher por razões da condição de sexo feminino quando o crime envolve violência doméstica e familiar. Enquanto o art. 211. inclui destruição, subtração ou ocultação de cadáver, ou parte dele com pena de um a três anos de cadeira, e multa.

Houve um recurso por parte do acusado, mas ele perdeu no Tribunal de Justiça. Também houve recurso contra a sentença, durante este julgamento, ocorreu a pronunciação dele e o caso irá a júri popular.

A data do júri ainda não foi marcada.

Relembre o caso

Gabriela Jardim Peixoto desapareceu em 22 de agosto de 2021, na cidade de Feira de Santana. O médico Antônio Marcos é apontado como a última pessoa a se encontrar com a vítima, que foi achada morta às margens da BR-116, seminua em um matagal no dia 28 de agosto.

A queixa do desaparecimento de Gabriela foi feita no dia 23 por outro ex-marido dela, com quem ela tinha uma filha de 12 anos.

O suspeito veio do Acre, seu estado natal, para se apresentar a polícia no dia 3 de setembro de 2021. Ele viajou para lá logo depois do desaparecimento de Gabriela.

A polícia apreendeu o carro de Antônio Marcos, que estava guardado por dois amigos em um condomínio. O veículo tinha manchas de sangue, embora ainda esteja confirmado que se tratava de sangue de Gabriela.

Testemunhas informaram à polícia que os dois tinham uma relação tumultuosa e que o médico era muito ciumento.

No dia do seu desaparecimento, Gabriela se encontrou com um homem que a polícia acredita que era Antônio Marcos. "Após se abraçarem, eles conversam pouco e eles saem do posto e vão para o outro lado da cidade, na Avenida Fraga Maia, onde ficaram lá em um estabelecimento comercial. Posteriormente, eles saem junto a bordo dessa Frontier e as investigações apontam que esse carro passou pela BR-116 Norte, sentido Santa Bárbara, por volta de 1h, retornando por volta das 2h. Isso nos deu um alerta muito grande. O casal teria ido a algum lugar, teria desistido, aconteceu alguma coisa”, disse a delegada Klaudine Passos ao Acorda Cidade.

O Frontier, que é o carro do médico, estava com dois amigos médicos e foi entregue à polícia pelo advogado do suspeito no último dia 31. A perícia está sendo feita no carro. O laudo médico sobre a morte de Gabriela também não está pronto.