Pan American inicia operação comercial de complexo eólico na Bahia

Três dos dez parques que formam o empreendimento já estão gerando energia dois meses o prazo inicialmente previsto

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 6 de março de 2024 às 21:57

O Complexo Eólico Novo Horizonte (BA), primeiro empreendimento no Brasil da Pan American Energy (PAE), empresa global de energia, acaba de iniciar a operação comercial de três dos dez parques que compõem o empreendimento. No fim de 2023, a empresa recebeu autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para realização dos testes, contribuindo para o Brasil bater a marca de 1.000 usinas eólicas. Neste mês de fevereiro, os três parques já começaram a rodar comercialmente, antecipando o prazo inicialmente previsto.

Em fase final de construção, com aproximadamente 90% das obras realizadas, mais de 77 aerogeradores montados e sete dos dez parques concluídos, o complexo eólico terá 423 MW de capacidade instalada, energia suficiente para abastecer cerca de 1 milhão de residências brasileiras, números que o colocam entre as usinas eólicas mais importantes do país. A previsão é que as obras dos últimos três parques sejam concluídas em breve e que todo o complexo esteja operando comercialmente em meados de 2024.

“Contamos com uma equipe altamente qualificada, que reuniu em torno de 2,6 mil profissionais no pico das obras. Desde a concepção do projeto e as etapas de engenharia civil, com aquisição e montagem de equipamentos e máquinas, temos adotado as melhores práticas de mercado, contemplando como padrão componentes de última geração, incluindo sistemas de proteção e controle, para fornecer energia limpa e sustentável de forma segura para todos os brasileiros”, destaca Alejandro Catalano, diretor geral da PAE no Brasil.

Recentemente, a PAE também concluiu importante etapa para o escoamento da energia gerada pelo complexo, com a energização do sistema de transmissão do empreendimento. As obras para a instalação duraram apenas 10 meses, tempo desafiante diante da grandiosidade do projeto.

O sistema de transmissão compreende uma subestação coletora própria chamada Novo Horizonte, com 79 km de linhas de transmissão (500 kV), além da ampliação de uma subestação já existente, que conecta o complexo ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

O empreendimento, que envolveu R$ 3 bilhões em investimentos (R$ 1,2 bilhão obtidos por meio de empréstimos do BNDES e do Banco do Nordeste), está localizado em seis municípios baianos: Novo Horizonte, Ibitiara, Boninal, Piatã, Brotas de Macaúbas, e Oliveira dos Brejinhos, região central da Bahia, ocupando uma área de 2.700 hectares.