Ator que vive o novo Homem-Aranha visita o Brasil

Vida
02.05.2017, 20:16:00

Ator que vive o novo Homem-Aranha visita o Brasil

Tom Holland participou de evento para convidados em São Paulo, nesta terça (2), e conversou sobre o filme que estreia dia 6 de julho
Tom Holland, ao centro, conversou sobre o novo
Homem-Aranha que estreia 6 de julho, nos cinemas
(Foto: Divulgação)

Tom Holland, o jovem ator inglês que estrela o filme que marca o recomeço da bilionária franquia Homem-Aranha, é tão simpático quanto Peter Parker - e tem um corpo franzino adequado à idade do personagem em De Volta ao Lar, que estreia dia 6 de julho nos cinemas do país. Foi a primeira impressão que ele causou na plateia de 200 jornalistas presentes à coletiva na terça-feira, de manhã, em um hotel de luxo em São Paulo, cidade onde ele, de 20 anos, e a atriz americana Laura Harrier, 27, chegaram um dia antes, aproveitando para passear. Foram inclusive ao famoso Beco do Batman: "Foi meio difícil ir lá e nem encontrei o Bruce Wayne. Está na hora de criarem o Beco do Homem-Aranha aqui", disse sorrindo. Um vídeo no Instagram do ator (@tomholland23), aliás, mostra seu divertido primeiro dia na capital paulista, na companhia do seu irmão e de um amigo, ambos de sua faixa etária.

Tom, cujo personagem de HQ favorito é o Wolverine, depois do Spider-Man, claro, é um típico cara de sua idade no mundo atual: ligado em redes sociais. Foi através do Instagram, por exemplo, que ele ficou sabendo que a Sony (detentora da marca do herói) o havia escolhido para vestir o uniforme do Homem-Aranha e não, como seria de se esperar, por meio de um telefonema exultante do seu agente."Depois de fazer uma bateria de testes, incluindo um com Robert Downey Jr., eu ficava me atualizando no Instagram à procura de notícias do filme. Até quem um dia apareceu", conta. Ele estava tão empenhado que, mesmo antes dos testes oficiais, mandou cinco vídeos caseiros, num dos quais mostrava que também era bom em saltos mortais para trás e piruetas. "Queria mostrar que eu era o cara certo para o personagem, que eu queria ser o Homem-Aranha em muitos filmes", lembra com naturalidade.

Do mesmo jeito, Tom Holland afirma que roubou detalhes das interpretações de Tobey Maguire e Andrew Garfield, os astros dos cinco filmes anteriores. "Tive sorte de ter cinco filmes anteriores para compor meu Homem-Aranha, que é o mais novo de todos, um garoto de 15 anos descobrindo os super-poderes e ainda sem sentir o peso das responsabilidades que eles trazem. Eu diria que o meu Homem-Aranha está ainda em treinamento", explica. Tanto Tom quanto Laura Harrier, que faz Liz Alan,  o primeiro interesse de Peter Parker, destacaram as aulas de interpretação que tiveram ao dividir cenas com Robert Downey  (Tony Stark/Homem de Ferro), Marisa Tomei (tia May) e Michael Keaton  (o vilão Abutre). Na trama, o herói volta para casa após a experiência com os Vingadores em Capitão América: Guerra Civil (2016), filme que apresentou Tom Holland como Spider-Man. Sua rotina muda quando ele se vê cara a cara com o Abutre.

Sobre dificuldades para viver o Homem-Aranha, Tom lembrou de ter que aprender o sotaque nova-iorquino e, sobretudo, de ter passado 11 horas um dia sem tirar o uniforme, mesmo tendo vontade de ir ao banheiro: "O uniforme não tem zíper e dá muito trabalho vestir. Então, naquele dia tive que aguentar firme (risos)". Na entrevista, os atores ganharam de presente da Sony camisas da Seleção Brasileira, personalizadas com os seus nomes.  Como encontra-se ainda em final de pós-produção, a Sony não  exibiu nem uns 5 minutinhos de Homem-Aranha: De Volta ao Lar para os jornalistas. Se ansiedade aracnídea matasse...

* O jornalista viajou a convite da Sony Pictures

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas