Cannabis apresenta resultados promissores como tratamento para covid-19

coronavírus
22.05.2020, 10:34:51
Atualizado: 22.05.2020, 10:44:07
Professor Igor Kovalchuk é um dos responsáveis pelo estudo (Foto: Divulgação)

Cannabis apresenta resultados promissores como tratamento para covid-19

Segundo estudo preliminar, substância atua dificultando a entrada do coronavírus nas células

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A cannabis sativa, substância presente na maconha, é estudada por uma equipe de cientistas do Canadá como possível tratamento para os pacientes com covid-19. 

Igor e Olga Kovalchuk, professores de Biologia da Universidade de Lethbridge, escreveram um artigo afirmando que extratos específicos da planta são promissores como um tratamento adicional para a doença provocada pelo novo coronavírus.

O trabalho dos Kovalchuks e sua equipe de pesquisadores foi publicado no portal "Preprints". No entanto, isso não significa que a pesquisa esteja finalizada. Segundo a própria instituição de ensino divulgou em seu site oficial, o estudo "ainda não foi revisado por pares ou publicado em uma revista científica".

"Embora nossos extratos mais bem-sucedidos exijam validação adicional em uma análise em larga escala e em um modelo animal, nosso estudo é crucial para a análise futura dos efeitos da cannabis medicinal contra a Covid-19", explicou o casal, no comunicado da universidade.

Além de professor, Igor também é CEO da empresa de pesquisa Pathway RX, voltada para o desenvolvimento de terapias personalizadas de cannabis. O estudo foi realizado em parceria com a companhia dele e com a Swysh, focada na pesquisa e desenvolvimento de canabinóides.

De acordo com a Universidade de Lethbridge, os cientistas tiveram por base certos extratos da erva que afetaram as proteínas ACE2 e TMPRSS2. Eles explicaram que essas proteínas estão embutidas na membrana celular e representam uma porta de entrada importante para o coronavírus invadir as células hospedeiras. 

Os dados iniciais sugerem que 13 extratos de cannabis sativa ricos em CBD anti-inflamatório (canabinóide) podem modular a expressão de ACE2 em tecidos-alvo de Covid-19 e regular negativamente o TMPRSS2.

Os resultados demonstram que essas linhas de cannabis sativa com alto CBD têm potencial para se tornar uma adição útil e segura ao tratamento contra a covid-19. Eles poderiam ser usados ​​para desenvolver tratamentos preventivos na forma de um enxaguante bucal ou gargarejo para uso clínico e doméstico.

"Dada a atual situação epidemiológica terrível e em rápido desenvolvimento, todas as oportunidades e caminhos terapêuticos possíveis precisam ser considerados", disse Kovalchuk. "Nossa equipe de pesquisa está buscando ativamente parcerias para realizar ensaios clínicos".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas