Comércio de rua pode ser fechado nos próximos dias, afirma prefeito

salvador
24.03.2020, 05:35:00
Atualizado: 24.03.2020, 05:43:18
(Marina Silva/CORREIO)

Comércio de rua pode ser fechado nos próximos dias, afirma prefeito

Município já determinou o fechamento de bares, restaurantes e shoppings centers

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O comércio de rua pode ser o próximo pilar da economia a sofrer o baque dos efeitos da Covid-19. Nesta segunda-feira (23), o prefeito ACM Neto disse que não descarta a possibilidade de fechar lojas e outros estabelecimentos da capital baiana caso isso signifique barrar o avanço do novo coronavírus na cidade.

A declaração foi dada durante o anuncio do decreto que determinou o fechamento dos salões de bares e restaurante a partir desta quarta-feira (25). Shoppings centers estão com as atividades suspensas desde o fim de semana. Parques públicos, cinemas, teatros, e escolas foram os primeiros espaços a serem interditados no começo da pandemia.

“Agora, a única coisa que resta aberta é o comércio de rua. Nós estamos avaliando. Como venho dizendo, as medidas são tomadas de acordo com os protocolos e com as evidências fáticas. Se percebermos que a manutenção do comércio de rua em funcionamento é incompatível com a regra que estabelecemos de limite de pessoas transitando nas ruas, nós vamos fechar o comércio de rua da mesma forma. Essa medida está sendo analisada”, afirmou.

Comerciantes alegam que o movimento de clientes nas ruas caiu nas últimas semanas. Segundo o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia (Sindloja), Paulo Motta, março é um mês bom para o setor por conta das compras de volta às aulas, mas por conta da Covid-19 o faturamento desde o pós-carnaval caiu cerca de 70%.

“Esse ato do prefeito traz as preocupações sobre as capacidades das empresas funcionarem e com os emprego dos trabalhadores. Compreendemos que existem prioridades por conta desse vírus, mas existe o risco de superarmos o vírus e ficarmos sem negócios. As atividades econômicas estão ficando cambaleadas. Estamos sem perspectiva de como vai ficar a situação na cidade, no estado, e no país”, afirmou.

Atualmente, existe cerca de 12 mil lojas em Salvador que empregam aproximadamente 122 mil trabalhadores. Os comerciantes estão preocupados com as vendas da Páscoa e Dias das Mães, nos próximos dois meses, já que o novo coronavírus não da sinais de fraqueza e continua a avançar.


Confira outras ações anunciadas pela prefeitura

1. Salões de bares e restaurante ficam interditados por 15 dias, contados a partir desta quarta-feira (25). Será permitido apenas delivery e a compra no local;

2. Será criado um serviço de Call Center para concentrar todas as demandas sobre o novo coronavírus, como denúncias e orientações;

3. Proibição de atividades sonoras, como festas e paredões, dentro e fora dos estabelecimentos. Casas de shows também estão proibidas de funcionar;

4. Agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) e da Guarda Municipal farão rondas nos bairros. PM pode ser solicitada;

5. As rondas acontecerão nas principais ruas dos bairros, campos de futebol, praças e em todos os espaços públicos que possibilitem aglomerações;

6. A prefeitura vai usar 100 carros de som para conscientizar a população sobre as novas regras e sobre as ações voltadas para o enfretamento ao novo coronavírus;

7. Cinco Mercados Municipais que não oferecem mercadorias essenciais serão fechados para evitar aglomeração: Itapuã, Cajazeiras, Bonfim, Liberdade e Dois de Julho.

8. Lojas de Conveniências terão que se adequar às normas aplicadas aos bares e restaurante, ou seja, os produtos vendidos não podem se consumidos no local da venda;

9. Estão proibidas obras em prédios habitados, residencial e comercial, que não forem consideradas essenciais. A regra se aplica também as obras já em andamento;

10. Academias de condomínios devem ser interditadas até segunda ordem para evitar aglomeração de pessoas;

11. A prefeitura estuda fechar o comércio de rua e a decisão pode ser tomada ainda essa semana;

12. Templos religiosos terão que suspender atividades; 

13. A meta do Município é gerar entre 200 e 250 novos leitos para pacientes com o novo coronavírus. A compra de respiradores está em andamento;

14. O decreto entra em vigor nesta quarta-feira (25), por 15 dias, mas pode ser prorrogado;

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas