Como comprar minha primeira ação? Aprenda a mexer no Home Broker

economia
01.05.2021, 05:05:00
Quer começar a investir em ações? É preciso mexer no Home Broker (Anna Nekrashevic / Pexels)

Como comprar minha primeira ação? Aprenda a mexer no Home Broker

É bem fácil usar a plataforma que simula o 'pregão' da Bolsa de Valores

Chegou a hora: depois de compreender o que são CDBs, Tesouro Direto, CLA e outros títulos de renda fixa e depois de entender os inúmeros tipos de fundos de investimento, podemos, enfim, entender como adquirir as ‘queridinhas’ ações.

Mas, antes de tudo, é preciso entender o que são ações. Nessa séria do CORREIO voltada para quem está começando a investir, você já entendeu quais as diferenças entre os ativos de renda fixa e os ativos de renda variável.

Ações fazem parte da chamada renda variável. De fato, elas são os ativos mais procurados e cobiçados pelos investidores, justamente por poderem entregar rendimentos bem acima da taxa de juros do Brasil e até mesmo da inflação.

Neste capítulo, mais um da série do CORREIO voltada para novos investidores, vamos entender, num passo a passo, como comprar a sua primeira ação. De quebra, vamos entender o que é e como funciona um Home Broker.

Mas, primeiro, vamos entender o que são ações e quais os seus tipos.

O que é uma ação?

Uma ação, a grosso modo, é uma porção da propriedade de uma empresa. Sim, quando você adquire uma ação (ou um ‘papel’), você está tornando-se sócio dela, ainda que respondendo por um milésimo de porcentagem da proporção dela.

As ações são negociadas na Bolsa de Valores, que aqui no Brasil atende pelo nome de B3 (antiga Bovespa). Elas são colocadas à venda inicialmente quando uma empresa decide abrir seu capital, num processo chamado I.P.O (Oferta Pública Inicial, em inglês).

A Bolsa funciona como um leilão, onde proprietários de ações e interessados se encontram. O preço desses ‘papeis’ flutuam de acordo com o resultado da empresa, se ela está indo bem no seu ramo ou não.

Quer ler mais matérias exclusivas? Clique aqui e acesse a área de assinante do CORREIO

Pra que serve uma ação?

De modo geral, uma ação dá rentabilidade ao seu proprietário de duas formas. A primeira, é com os chamados ‘proventos’ daquela empresa, que geralmente são os dividendos e os juros sob capital próprio.

Os dividendos são apurados sobre o lucro da empresa dentro de um determinado período, dividido entre os acionistas de forma proporcional. Juros sob capital próprio são transferências aos acionistas, geralmente após uma decisão em assembleia.

A outra forma mais comum de obter rentabilidade com ações são negociando-as. Quer dizer, você adquire os papeis por um valor, aguarda a empresa crescer e se valorizar – ou seja, fazendo o valor da ação aumentar na Bolsa – para depois vende-los mais caro.

Quais os tipos de mercado?

Aqui, um ponto importante: para o investidor iniciante, é fundamental entender como funciona o mercado fracionário de ações.

Geralmente, as ações são negociadas na Bolsa de Valores por meio do chamado ‘lote padrão’. Trata-se de um ‘pacote’ contendo – no mínimo! – 100 ações daquela empresa. Ou seja, se a ação está valendo R$ 20, cada, o lote padrão mínimo sairá por R$ 2 mil.

Porém, para não afastar pessoas físicas de renda um pouco menor, a B3 permite a compra por unidades. Ou seja, dá para comprar até mesmo uma única ação da empresa. Esse é o chamado mercado fracionário.

Portanto, não é que as ações fiquem mais baratas se você as comprar no ‘atacado’. A ideia é, tão somente, permitir a entrada no mercado financeiro a partir de um capital menor.

Onde comprar ações?

Simples: por meio da sua corretora de preferência. No Brasil, existem centenas delas, ainda mais após os últimos anos, quando a taxa de juros do país caiu severamente e milhões de brasileiros partiram para a renda variável.

A ideia é procurar as diversas corretoras no mercado, analisar as políticas delas, observar as suas taxas de corretagem – a porcentagem dos seus rendimentos que ela cobra –, abrir a sua conta e transferir dinheiro do seu banco para a conta dela.

Home Broker

Cada corretora possui o seu ‘Home Broker’. O que é isso? Na prática, é como se fosse um pregão da Bolsa de Valores na sua casa, através da internet.

Basicamente, é uma plataforma através da qual você consegue acompanhar a cotação das ações das empresas, observar como está a oferta (quantas pessoas estão vendendo) e a demanda (quantos estão procurando) por esses papeis e apresentar a sua oferta.

Como identificar uma ação?

Na B3, cada ação negociada possui um código para identifica-las. Esses códigos possuem quatro letras do nome da empresa seguidos por um número. Por exemplo:

PETR4 – Petrobras
ELET6 – Eletrobras
EMBR3 – Embraer
B3SA3 – ação da própria B3
VALE3 – Vale

Esses números que são apresentados no final dizem respeito ao tipo da ação. É fundamental prestar atenção a eles, pois podem existir várias ações com as mesmas letras iniciais.

Quais os tipos de ação?

Ordinária: é o tipo de ação que dá ao seu proprietário o poder de voto. Ou seja, quando ocorrer a assembleia com os administradores da empresa, o acionista pode participar e dar seu parecer sobre o futuro da companhia.

Preferencial: essas ações dão preferência aos seus proprietários na distribuição dos dividendos. Ou seja, os acionistas desse tipo estão na frente da fila, algo que não está garantido aos que possuem papeis do tipo ordinário.

Unities: são ações que garantem ao proprietário tanto o poder de voto das ordinárias como a preferência na distribuição dos dividendos.

As ações ordinárias possuem o código 3.
As ações preferenciais possuem os códigos 4, 5 e 6.
As unities possuem o código 11.

Como funciona o Home Broker?

Visite o site da sua corretora e entre na sua conta, digitando login e senha. Fique atento, porque cada uma exige um passo a passo diferente, e normalmente te pedem para digitar um código (o token) que aparece no aplicativo instalado em seu celular.

Assim que acessar a sua conta, clique no botão ‘acessar Home Broker’, que aparece na primeira página de praticamente todas as corretoras disponíveis.

IMPORTANTE: você só pode comprar e vender ações dentro do horário do pregão da B3, que vai das 10h às 17h de dias úteis.

1)    Adicionando o ativo

A tela que você verá é parecida com essa (clique para ampliar):

Clicando no símbolo da lupa (destacado em vermelho) você pode digitar o código da ação que está interessado em analisar a fundo. Em alguns Home Broker, pode aparecer como ‘adicionar ativo’ ou como ‘buscar papel’.

2)    Detalhes do ativo

Nesse Home Broker em questão, são quatro quadros (clique para ampliar):

No quadro superior à esquerda, você observa detalhes da ação que decidiu observar a fundo (nesse caso, a PETR4, uma das ações da Petrobras).

Você observa o preço de uma ação naquele momento (R$ 23,62 nesse momento da foto) e a flutuação do valor em relação ao fechamento do pregão do dia anterior (nesse caso da foto, houve uma queda de 1,34%).

Quando o pregão está aberto, é possível observar também a melhor oferta de compra (o preço mais alto que alguém está oferecendo para adquirir uma ação) e a melhor oferta de venda (o preço mais baixo que alguém está oferecendo para vender a sua ação).

3)    Demais ferramentas

Os Home Broker também vêm com gráfico e com uma grade de cotações (clique para ampliar):

Nesse caso, o quadro inferior à esquerda é a grade de cotações, um resumo de como estão sendo negociadas as principais ações da B3 naquele momento. E no quadro direito superior, o gráfico mostra a oscilação do valor de uma ação ao longo de um determinado período.

4)    Abrindo sua oferta

O quadro inferior da direita é um dos mais importantes: a ‘boleta’ (clique para ampliar):

A ‘boleta’ é onde, na prática, você vai apresentar a sua oferta para adquirir aquela uma ação. Primeiro, você precisa digitar no campo ‘ativo’ o código da ação que você busca (nesse caso, o PETR4, que é uma ação da Petrobras).

Note que, no caso da imagem acima, o ativo escolhido é vendido em ‘lote padrão’. Ou seja, o campo ‘quantidade’ vai automaticamente ser preenchido com o número 100. Nesse caso, você só pode alterar a quantidade para 200, 300 e por aí vai.

Assim, o preço total da oferta é o valor de uma ação multiplicado no mínimo por 100.

IMPORTANTE: Para entrar no mercado fracionário de ações, é preciso adicionar um F ao fim do código da empresa.

Nesse caso, o código da PETR4 no mercado fracionário é PETR4F (clique para ampliar):

Note que o campo quantidade foi, automaticamente, para 1. E a partir daí você pode optar por aumentar para 2 ações, 3, 4 e por aí vai. O valor total da oferta também será o preço de uma ação multiplicado pela quantidade.

5)    Período da sua oferta

No campo ‘validade’ ou ‘período’, você vai escolher por quanto tempo a sua oferta será válida. São, geralmente, três opções (clique para ampliar):

Hoje: a oferta será válida ao longo do pregão do dia. Ou seja, se seu lance não coincidir com nenhum preço de venda, sua oferta expirará quando a Bolsa fechar.

Até o dia: nesse caso, você escolhe a duração do seu lance. Literalmente, a sua oferta ficará válida até o final do pregão do dia que você optar.

Até cancelar: o seu lance será válido enquanto você quiser. Ou seja, sua oferta só vai expirar quando você der esse comando no Home Broker.

6)    Dê seu lance

No campo ‘preço’, você vai, tão somente, digitar o valor do seu lance (clique para ampliar)

O seu lance pode ser de qualquer valor. Obviamente, se for um valor abaixo da cotação atual, você terá que esperar o preço da ação cair para então compra-la pela oferta que fez.

Por isso que existe a validade: se você tem estudado determinada ação e acredita que ela pode cair de preço dentro de um intervalo, basta digitar o valor que você acredita que ela custará e programar para que a oferta fique válida no período em questão.

Se o prazo expirar e o preço da ação não cair até o patamar da sua oferta, obviamente, seu lance vai expirar, sem nenhum prejuízo.

Se você estiver disposto a comprar a ação pelo preço da cotação atual, basta digitá-lo no campo ou clicar em ‘a mercado’, porque assim você vai comprá-la pelo valor do momento.

7)    Acompanhe seu lance

Assim que você clicar em ‘comprar’, aparecerá uma outra janela com o status da sua oferta. Nela, você poderá acompanhar se conseguiu ou não adquirir o ativo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas