Conheça único baiano na seleção brasileira de tiro que vai ao Pan

esportes
22.07.2019, 06:00:00
Jefferson Portela vai representar a seleção brasileira de tiro esportivo no Pan (Acervo pessoal)

Conheça único baiano na seleção brasileira de tiro que vai ao Pan

Jefferson Portela Atleta de 26 anos vai disputar o Pan-Americano de Lima, no Peru

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Nada de bola ou vídeo game. O que divertia pra valer Jefferson Portela durante a pré-adolescência era atirar em latinhas. “Um tio meu tinha uma arma e quando eu vi atrás da porta foi amor à primeira vista. Era uma arma de ar comprimido, com baixo poder letal, que ele usava para matar rato. Aí pedi a meu pai para comprar uma pra mim”, conta o único atleta baiano que vai integrar a seleção brasileira de tiro esportivo durante o Pan-Americano de Lima, no Peru. O evento acontece de 26 de julho a 11 de agosto e ele compete no dia 3, na modalidade carabina. 

Jefferson teve o pedido atendido pelo pai aos 12 anos e passou a vivenciar algumas das cenas que curtia nos filmes de faroeste. Aos 19, a brincadeira virou coisa séria. “Foi quando entrei no tiro profissional. Eu vi pela televisão os Jogos Olímpicos de Pequim-2008 e depois de Londres-2012 e busquei os clubes de tiro, registros, licenças e adquiri equipamentos com nível de performance apurado”, conta.

Apesar do empenho, ele não conseguiu a vaga para os Jogos do Rio-2016. Não foi como imaginou, mas, mesmo assim, participou do maior evento esportivo do planeta. “Além de atleta, eu também sou instrutor de tiro e árbitro internacional. Acabei convocado para o Rio-2016 para a arbitragem. Estive nos Jogos Olímpicos, mas em outra condição".

O baiano ficou com ainda mais vontade de representar o Brasil como atleta em uma Olimpíada e vê no Pan-Americano de Lima a chance de concretizar o sonho. A competição classificará diretamente para Tóquio-2020. Os dois primeiros colocados de cada categoria individual garantem vaga no Japão. 

“Quando eu entrei no tiro profissional, o meu objetivo sempre foi representar o nosso país em uma Olimpíada”, afirma o soteropolitano, que não tem patrocínio e foi vice-campeão brasileiro em 2018. “Estou me sentindo muito bem, revigorado e determinado”.

Formado em direito, Jefferson já não encontra tempo para advogar e passou os casos que tinha para colegas de trabalho. Ele está treinando no Rio de Janeiro com a seleção brasileira desde o dia 8 e retorna para Madre de Deus, onde mora desde criança, no dia 22. A viagem para Lima será no dia 27.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas