Cresce busca de microfranquias: veja dicas de como investir nessa área

empregos
13.09.2021, 06:00:00
As microfranquias atraem principalmente o interesse de quem deseja trabalhar em casa e fazer os próprios horários (Shutterstock/reprodução)

Cresce busca de microfranquias: veja dicas de como investir nessa área

Entre as mais procuradas, estão aquela com modelo home based, que tem baixo investimento e flexibilidade ao franqueado

Desde o início da pandemia, a procura por microfranquias cresceu. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o interesse pelo modelo reduzido aumentou e, hoje, corresponde a 92% de todas as buscas sobre franquias na internet. A ABF estima que cerca de 69% das marcas associadas ofereçam modelos reduzidos de negócios e que desse percentual, 55% trabalham apenas com microfranquias. 

A representatividade fez, inclusive, com que a entidade passasse a divulgar o desempenho das franquias reduzidas separadamente das marcas com pontos de venda tradicionais. Muitas dessas franquias mais baratas não exigem um ponto comercial e podem ter o trabalho executado em casa mesmo, pela internet.

Para se montar uma microfranquia é preciso ter os mesmos cuidados de uma franquia de lojas tradicionais, o que varia é apenas o valor do investimento. Outro aspecto importante, antes mesmo de investir em qualquer negócio, é a identificação com o tipo de negócio escolhido e a marca. 

Vantagens

O diretor da Regional Nordeste da ABF Cândido Espinheira lembra, no entanto, que como em todo serviço que está atuando em casa, é preciso ter disciplina para poder separar o que é trabalho profissional e o que são afazeres domésticos. “Com essa pandemia, o home office passou a ser uma regra. Os custos de uma franquia home-office são baixos. Então, é preciso ter ciência que o retorno financeiro também é um pouco menor”, esclarece. 

Cândido Espinheira, da ABF, salienta a importância de manter uma disciplina que separe os afazeres domésticos das atividades profissionais com a franquia (Foto: Divulgação)

O CEO da PremiaPão Raphael Mattos é um incentivador do modelo home based, que tem um baixíssimo investimento, oferece maior flexibilidade ao franqueado, que atua de casa e faz os seus horários, podendo até mesmo conciliar com outro emprego, embora essa não seja uma realidade ideal. “As principais vantagens são: um negócio de baixo investimento e com alta rentabilidade, no qual a franqueadora dá todo o apoio e suporte, sem o franqueado ter a necessidade prévia de uma experiência com vendas ou com negócios”, defende. 

Raphael Mattos reforça a importância de seguir o treinamento dado para evitar que erros coloquem os negócios em risco ou diminuam o faturamento (Foto: Divulgação)

Mattos diz que a dica é que os franqueados devem seguir, à risca, todo o treinamento. “Seguindo o treinamento, erros de precificação e apresentação do modelo de negócio, por exemplo, podem ser evitados”, sugere.

Desafios

O representante da ABF faz questão de ressaltar que, mesmo estando em casa, investir na abertura de uma franquia home office não quer dizer que haverá menos trabalho. “A dedicação ao negócio e a organização para seguir as normas da franqueadora serão fundamentais para o sucesso da empreitada”, aconselha. 

Mais do que poder aquisitivo para iniciar o negócio, para Espinheira, é preciso afinidade e dedicação para mantê-lo. “É preciso muita honestidade, auto avaliação. É preciso levar em consideração também uma boa pesquisa de mercado sobre o segmento e marca escolhida, colocar na balança os seus valores, seus riscos, seu perfil”, diz.
Entre as sugestões, estão evitar financiamento na hora de comprar a franquia. “Se possível, guarde uma parte desse montante para usar como capital de giro nos primeiros meses de operação”, ensina. 

Outra questão importante é conhecer bem as questões financeiras e jurídicas que envolvem o negócio, evitando o compromisso quebrado e o litígio. De acordo com a lei de Franquias 8955/94, o franqueador tem por obrigação deixa descrito todas as operações e balancetes da marca ao candidato, que tem 10 dias para analisar um documento chamado Circular de Oferta de Franquia (COF) com calma antes de assinar o contrato. 

Vale lembrar que a COF deve conter uma série de informações a respeito da franquia, tais como: balanço e demonstrações financeiras da empresa franqueadora relativo aos últimos dois anos; descrição detalhada da franquia e perfil do franqueado ideal; informações sobre os ex-franqueados;  informações sobre taxas periódicas; informações sobre os ativos intangíveis da franquia no INPI, como por exemplo, marcas, patentes e desenhos industriais: situação a respeito das ações judiciais que a franqueadora faz parte tanto no polo passivo quanto no ativo; entre outras. 




 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas