Flora Gil recebe título de cidadã baiana: 'só atesta o que eu já sou de coração'

variedades
06.02.2020, 23:40:53
Atualizado: 06.02.2020, 23:58:29
(Arisson Marinho/CORREIO)

Flora Gil recebe título de cidadã baiana: 'só atesta o que eu já sou de coração'

Evento que contou com as presenças de Gilberto Gil, Nara e Ben e dos netos do casal: 'Ela chegou num momento que minha carreira mais precisava de cuidado', disse Gil

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Para Nara Gil, filha do cantor Gilberto Gil, quando o pai conheceu a atual esposa, ele previu na canção Flora que a “jaqueira forte, farta e bela” seria homenageada “pura no sabor de amor e de amora”. A sugestão poética do nome da amada serviu para escrever a música em 1979, que foi cantada pela primeira vez no Teatro Vila Velha, exclusivamente para Flora, entre quatro e seis da tarde, apenas um mês depois de tê-la conhecido.

Nesta quinta-feira (6), a canção embalou uma outra tarde, dessa vez com a presença de políticos e artistas que prestigiaram a cerimônia de entrega do título de cidadã baiana para Flora Gil. Essa é a segunda homenagem do tipo para a empresária, diretora e matriarca de uma das famílias mais conhecidas do país.

Flora recebe da deputada Olívia Santana a placa de cidadã baiana no evento que contou com as presenças de Gilberto Gil, Nara e Ben e dos netos do casal
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Em junho de 2017, a “ramagem” de Flora já tinha sido reconhecida como soteropolitana pela Câmara de Vereadores de Salvador. Agora, foi a vez da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) atestar a “multiplicação” desses ramos no território baiano.  

“Essa homenagem só atesta aquilo que eu já sou de coração. Sempre gostei muito da Bahia, trabalhei com coisas daqui e vivi a cultura do estado. Me sinto privilegiada por esse reconhecimento”, disse a homenageada.

Flora Gil é responsável pela Gegê Produções, empresa que, em 1998, conseguiu recuperar na justiça os direitos autorais de todo o trabalho de Gilberto Gil.

(Arisson Marinho/CORREIO)

“Isso que ela fez foi fundamental. Evitou que acontecesse com a família de Gil o que ocorreu com a de Bob Marley, cuja família não possui os direitos sobre os discos do cantor”, destacou a deputada estadual Olívia Santana, que fez a proposta de entrega do título de Cidadã Baiana para Flora.  

“Ela chegou na minha vida num momento que minha carreira mais precisava de cuidado. Ela fez iniciativas e criou toda uma rede de relacionamentos. Tenho certeza que minha carreira não teria a mesma dimensão que tem hoje se não fosse por Flora”, disse o esposo Gilberto Gil.

A empresária também é responsável pela Jangarda, uma empresa de marketing digital, e é o nome por trás de um dos Camarotes mais emblemáticos do Carnaval baiano, o Expresso 2222. O local já recebeu nomes como os cantores cantor Bono Vox e  Quincy Jones, a modelo, Naomi Campbell, a Rainha Sílvia da Suécia, o artista plástico Romero Britto, o arcebispo Desmond Tutu e o cantor jamaicano Ziggy Marley, entre muitos outros famosos.

Os cantores Margareth Menezes e Luiz Caldas e o artista plástico Alberto Pitta marcaram presença na cerimônia
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

“São pessoas que, através do trabalho de Flora Gil, conheceram a Bahia e o nosso Carnaval, que nos é tão precioso. Flora agregou à Bahia e levou nossa cultura para o mundo”, destacou Olívia Santana.  

Formando a numeração que intitula o espaço, em 2020 o Expresso 2222 vai comemorar 22 anos de sua própria existência e o aniversário de 22 anos do Cortejo Afro, entidade cultural criada pelo artista plástico Alberto Pitta, que também esteve na cerimônia: “Em uma homenagem, metade da responsabilidade é de quem recebeu e a outra metade é de quem dá. Isso significa que aumenta a responsabilidade de Flora com a nossa cultura e dobra a nossa de valorizar o seu trabalho”, disse Pitta. 

Em 2017, a agora empresária baiana foi a responsável por criar o Festival Combina MPB, que levou para o Parque de Exposições  atrações nacionais gratuitas, como Paralamas do Sucesso, Milton Nascimento, Anitta e o próprio Gilberto Gil. “O projeto tinha patrocínio da Superintendência de Fomento ao Turismo do Estado da Bahia (Bahiatursa), mas foi descontinuado. Sinto pena que ele não prosseguiu. Poderia ser anual. Se temos tantas festas boas em Salvador, como o Festival da Virada e o Festival de Verão, qual o motivo do estado não investir numa festa da MPB?”, questionou Flora.

Representando o governador Rui Costa, o secretário de turismo da Bahia, Fausto Franco, contou como conheceu Flora no carnaval de Salvador e a considera mais baiana do que muitos que ele conhece. “Ela tem muito profissionalismo. É a representação ideal de que ao lado de um grande homem existe uma grande mulher”, disse. 

A cerimônia de entrega do título de cidadã baiana para Flora Gil foi realizada no plenário Orlando Spínola da Alba. Também estiveram presentes no local as deputadas federais Alice Portugal e Lídice da Mata; as deputadas estaduais Fátima Nunes e Maria Del Carmen; o cantor Luiz Caldas, a jornalista Wanda Chase, o músico Aroldo Macedo e o vice-reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Paulo Miguez.  

*com orientação da editora Ana Cristina Pereira

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas