Indústria baiana registra maior crescimento do país em abril, diz IBGE

bahia
08.06.2018, 11:20:00

Indústria baiana registra maior crescimento do país em abril, diz IBGE

No acumulado nos 12 meses encerrados em abril, a produção industrial baiana também apresentou crescimento (1,5%)

Em abril, a produção industrial da Bahia, descontados os efeitos sazonais, cresceu 7%na comparação com março. O resultado colocou a Bahia em primeiro lugar dentre os15 locais pesquisados pelo IBGE  e divulgados nesta sexta-feira (8). A Bahia ficou acima da média nacional de 0,8%. Outros dez estados mostraram taxas positivas, na passagem de março para abril de 2018.

Na comparação com  abril de 2017, a produção industrial baiana também cresceu (5,4%), mas ficou abaixo da média nacional (8,9%). Nessa comparação, a produção industrial cresceu em 13 das 15 regiões pesquisadas pelo IBGE, com destaque positivo para São Paulo (14,8%), Santa Catarina (14,6%) e Mato Grosso (14,4%). Abril de 2018 teve três dias úteis a mais que abril de 2017.

Assim, no acumulado de janeiro a abril de 2018, a produção industrial baiana cresce 2,3%, acelerando em relação ao acumulado de 1,3% em março, mas ainda abaixo do acumulado no país como um todo (4,5%). Outras 12 regiões também apresentaram variação positiva no acumulado no ano, com destaque para o Amazonas (21,5%).

No acumulado nos 12 meses encerrados em abril, a produção industrial baiana também apresentou crescimento (1,5%) e teve ganho de ritmo em relação ao acumulado nos 12 meses encerrados em março (0,4%). Ainda assim, é o quarto menor crescimento entre as regiões e está abaixo da média nacional (3,9%). No entanto, com este resultado, a indústria do estado registra o melhor desempenho nesta comparação desde maio de 2014 (1,9%).

O aumento de 5,4% na produção industrial da Bahia, na comparação com abril de 2017, foi resultado do desempenho positivo em 7 das 12 atividades pesquisadas no estado. O principal impacto positivo veio da fabricação de Veículos automotores, reboques e carrocerias (39,2%), puxada pelos automóveis. O setor vem apresentando resultados positivos desde julho do ano passado (30,6%) e já acumula em 2018 crescimento de 27,9%.

Também teve contribuição importante a atividade de Outros produtos químicos (3,9%), que apresentou variação positiva pela primeira vez neste ano, depois de ser a principal influência negativa (-20,4%) da indústria baiana em março (-5,0%), sempre na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Também tiveram aumentos de grande magnitude, em abril, na Bahia, a fabricação de Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (105,8%) e a fabricação de Bebidas (28,1%).

Por outro lado, as quedas de produção nas atividades de Coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-2,4%) e Celulose, papel e produtos de papel (-7,0%) foram, nessa ordem, as principais influências negativas para a indústria do estado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas