Minissérie Cavaleiro da Lua tem bom ritmo, humor e elenco afinado

entretenimento
30.03.2022, 13:30:00

Minissérie Cavaleiro da Lua tem bom ritmo, humor e elenco afinado

Novo produto da Marvel estreia nesta quarta (30) no Disney+; assistimos aos quatro primeiros episódios

Pouco conhecido entre os leitores de quadrinhos, o Cavaleiro da Lua inspira a nova série da Marvel que chega nesta quarta (30) à plataforma Disney+.Mas, conhecer ou não o personagem pouco importa para que o público em geral confira a novidade. Na real, as aventuras do encapuzado vivido pelo ator guatemalteco Oscar Isaac (Duna, Cenas de um Casamento) não estão conectadas com o restante do tecido apresentado no MCU. Até porque a história tem o seu próprio (e interessante) 'metaverso'.

Veja o trailer:

A trama, conduzida numa pegada Indiana Jones, com referências divertidas às produções da Era de Ouro de Hollywood, acompanha o atrapalhado Steven Grant, funcionário de um museu em Londres. De herói ele não tem nada, mas, estudioso de antigos mitos, sonha com aventuras que nunca viverá. Quer dizer, até viverá. Mas somente quando a outra consciência que habita sua mente (transtorno dissociativo de personalidade) ganha espaço: o destemido mercenário Marc Spector, alter-ego do deus egípcio da lua, Konshu. Quando consegue se entender, Grant/Spector/Konshu precisam deter o vilão Arthur Harrow (Ethan Hawke), que pretende derrotar o Cavaleiro e libertar uma antiga deusa egpícia do caos.

Para além da história bacana, conduzida num ritmo ágil, e com saidas cômicas, o elenco é a grande sacada da série de seis episódios (assistimos a quatro deles). Oscar Isaac desenvolve com riqueza os dois personagens, incluindo a sutileza que o tema sublimar requer..Claro, se trata de uma história de heroí tradicional, mas talvez seja a primeira em que as questões de saúde mental são abordadas tão claramente.

"É um verdadeiro estudo de personagem. Nossa missão era pegar o que ele tinha de mais dramático e tratar o aspecto da saúde mental de forma muto séria", diz Isaac, que primeiro se apresenta como Steven e só depois traz à tona Marc. Etahn Hawke concorda e ressalta que todos os aspectos do texto têm uma dualidade necessária. "Nós mudamos o paradigma. Quando se ensina o público a ver os seus demônios internos, ele não consegue mais ignorá-lo", completa.

Ajuda do irmão
Para interpretar Grant/Spector e suas personaildades (e sotaques) distintos, Oscar Isaac precisou da ajuda do seu irmão, o também ator Michael Benjamin Hernandez. Eles já haviam trabalhado juntos em Operação Fronteira e Operação Final, ambos da Netflix. Durante uma entrevista ao Entertainment Tonight, Isaac revelou que ter o irmão no set foi fundamental para desenvolver uma segunda personalidade. O ator também comentou que era difícil decidir por qual das personalidades começar, e seu irmão também o ajudou com isso.

“O primeiro passo foi contratar meu irmão, para entrar e ser o outro eu”, comentou Isaac. “É o que há de mais próximo a mim na Terra. Então, ele entrou e interpretou Steven ou Marc e até fez os sotaques e tudo mais, e foi muito útil ter alguém que não é apenas um ótimo ator, mas também compartilha meu DNA para interpretar. Algo que eu não previ era o quão tecnicamente exigente seria ter que, tipo, aparecer e decidir qual personagem eu interpretaria primeiro. E então eu tentei esquecer isso, dar as orientações ao meu irmão e depois fazer a cena e trocar de personagem”.

Oscar Isaac tem duas personalidades na série: Marc Spector e Steven Grant (divulgação)

Por enquanto, apenas uma minissérie
Embora tenha sido anunciada como uma minissérie, Cavaleiro da Lua pode, como todas as outras produções da franquia tocada por Kevin Feige, afetar o restante do MCU, com Marc/Steven aparecendo em outros filmes. E o todo poderoso dos estúdios Marvel não descarta a possibilidade, mesmo Oscar Isaac tendo assinado contrato apenas para este arco inicial.

“Após essa apresentação no Disney+, acho que as pessoas vão querer vê-lo em outros lugares. Não sei se existem muitos cantos do MCU que não aceitariam naturalmente a presença de Marc Spector, Steven Grant e Cavaleiro da Lua como parte de suas narrativas. Vai ser muito interessante e, como fã, mal posso esperar para ver onde ele chegará”, sugere Feige. A minisséria conta ainda com a presença de Gaspard Uliel como o Homem da Meia-Noite, seu último papel. Ele morreu em janeiro num acidente de esqui,.

Ethan Hawke faz o sacerdote de uma deusa caótica que antagoniza o Cavaleiro da Lua (divulgação)

Um vilão inusitado
Estrela da trilogia Antes do Amanhecer (1995), Antes do Pôr-do-Sol (2004) e Antes da Meia-Noite (2013), Ethan Hawke nunca tinha se aventurado como vilão e revela que sentiu um pouco de medo de ficar estereotipado. O receio foi em vão, é preciso ressaltar. Ator com experiência, com quatro indicações ao Oscar, ele confere brilho ao místico/beato imprevisível Arthur Harrow, que despeja lampejos filosóficos em suas vítimas com uma humanidade inesperada.

“Jack Nicholson pode interpretar um contador e você vai continuar esperando que ele exploda como em O Iluminado”, disse Hawke à EW. “Ver esses demônios muda sua relação com um ator, então sempre tive medo [de interpretar um vilão]. Mas percebi que estou na casa dos 50 anos e chegou a hora de colocar algo novo no meu repertório. Vilões podem ser meu futuro”, completou.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas