Não existe 'lockdown de fim de semana' que funcione, diz Miguel Nicolelis

coronavírus
25.02.2021, 16:26:00
(José Luiz Somensi/Fronteira de Pensamentos)

Não existe 'lockdown de fim de semana' que funcione, diz Miguel Nicolelis

Cientista criticou medida e afirmou que Salvador deveria ter feito lockdwon em julho

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O cientista Miguel Nicolelis criticou a decisão de adotar um 'lockdown' na Bahia neste final de semana, afirmando que esta medida não funciona nesse espaço de tempo. Ele ainda criticou Salvador, dizendo que a cidade baiana deveria ter feito lockdown ainda no ano passado. 

"Não existe lockdown de final de semana que tenha funcionado em nenhum lugar. Ou faz direito - 2-3 semanas no mínimo - ou não espere resultados reais e duradouros. Aviso está dado mais uma vez. Salvador deveria ter feito lockdown em julho do ano passado. Não fez e sofre com isso hoje", afirmou.

O que pode e não pode? Entenda como vai funcionar o 'lockdown' na Bahia

O neurocientista deixou a coordenação do Comitê Científico do Consórcio Nordeste há duas semanas, por estar insatisfeito com os resultados, segundo a Folha de S. Paulo. O comitê foi criado em março de 2020, logo no início da pandemia de covid-19 no país, e busca ajudar a criação de medidas em parceria pelos estados do Nordeste para conter o coronavírus.

De acordo com a coluna de Mônica Bergamo, pessoas próximas a Nicolelis afirmam que a decisão se deve à insatisfação dele em relação à não adoção, pelos governos, das orientações passadas pelo comitê. Mesmo fora da coordenação, ele mostrou disponibilidade em continuar ajudando nas pesquisas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas