O isolamento das putas

olhares
04.04.2021, 22:51:29

O isolamento das putas

Os clientes sumiram e a noite está vazia. O prazer de uma cidade boêmia se congelou numa madrugada de maresia fria e sem tesão. Garotas de programa temem a covid-19, mas a falta de dinheiro preocupa mais.
Nas ruas de Salvador, profissionais do sexo convivem com a falta de clientes e o risco diário de pegar o coronavírus.
Nas ruas de Salvador, profissionais do sexo convivem com a falta de clientes e o risco diário de pegar o coronavírus. (Paula Fróes/CORREIO)
Apesar da profissão não ser regulamentada, é reconhecida como ocupação pelo Ministério do Trabalho e Emprego, desde 2002.
Apesar da profissão não ser regulamentada, é reconhecida como ocupação pelo Ministério do Trabalho e Emprego, desde 2002. (Paula Fróes/CORREIO)
Prostitutas reclamam que o trabalho diminuiu até 90% após o início da pandemia.
Prostitutas reclamam que o trabalho diminuiu até 90% após o início da pandemia. (Paula Fróes/CORREIO)
Segundo dados da Associação das Prostitutas da Bahia (Aprosba), até o final de 2019 Salvador possuía 820 prostitutas cadastradas, sem contar mulheres trans.
Segundo dados da Associação das Prostitutas da Bahia (Aprosba), até o final de 2019 Salvador possuía 820 prostitutas cadastradas, sem contar mulheres trans. (Paula Fróes/CORREIO)
Sem clientes, algumas passam fome.
Sem clientes, algumas passam fome. (Paula Fróes/CORREIO)
Para evitar a pandemia e continuar trabalhando, algumas garotas de programa migraram para o mundo virtual.
Para evitar a pandemia e continuar trabalhando, algumas garotas de programa migraram para o mundo virtual. (Paula Fróes/CORREIO)

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas