Patrocinadores pressionam para que Santos rescinda com Robinho

esportes
16.10.2020, 18:10:00
Atualizado: 16.10.2020, 18:11:06
Robinho foi condenado em primeira instância na Itália pelo estupro de uma mulher (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Patrocinadores pressionam para que Santos rescinda com Robinho

Empresas ameaçam deixar clube caso jogador, condenado em primeira instância na Itália pelo estupro de uma mulher, siga na equipe

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Santos pode perder uma série de patrocinadores caso insista na permanência de Robinho. Após a reportagem do site ge.com - que revelou gravações e detalhes da sentença do jogador pelo estupro coletivo de uma mulher na Itália - as empresas parceiras estão pressionando a diretoria do Peixe pela rescisão do contrato do atacante.

Transcrições das gravações de conversas telefônicas, publicadas pelo veículo, mostram que Robinho sabia que a vítima estava alcoolizada. Além disso, a polícia italiana instalou um grampo no carro do jogador, que conseguiu captar conversas que, para a Justiça do país europeu, são "auto acusatórias". Entre elas, uma resposta do atleta sobre a investigação: "Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu".

Caso o Santos não desista da contratação de Robinho, os patrocinadores ameaçam rescisões dos contratos ou a suspensão dos pagamentos até que haja o julgamento em segunda instância na Itália.

A Orthopride foi a primeira a se posicionar, ainda antes dos desdobramentos dessa sexta-feira, e foi a única que rompeu com o Peixe. A Brahma informou que teve seu contrato de patrocínio com o Santos encerrado no dia 1º de outubro de 2020, e que não retomará as conversas pela renovação com Robinho no clube.

"O contrato de patrocínio entre a Cervejaria Brahma e o Santos Futebol Clube se encerrou no dia 1º de outubro deste ano e não foi renovado. Repudiamos veementemente os fatos relatados e não discutiremos sobre a renovação enquanto o jogador tiver contrato com o clube. Agradecemos ao clube pela parceria nesses últimos anos e seguimos ao lado das torcedoras e dos torcedores", diz o comunicado.

Veja os posicionamentos dos patrocinadores:

Kicaldo (mangas do uniforme)

"Depois da reportagem veiculada pelo Globoesporte.com, a nossa posição é que o clube rescinda com o jogador Robinho. Estamos aguardando a posição do clube. Se eles rescindirem, a gente mantém a parceria. Se não, a gente não vai mais patrocinar a equipe".

Tekbond (esterno do uniforme)

"A Tekbond repudia toda e qualquer situação de violência e promove o respeito à diversidade e a inclusão em suas operações. A empresa não teve conhecimento prévio sobre a contratação ou intenção do clube em contratar jogadores. Manifestamos nossa preocupação sobre o fato ao Santos assim que soubemos e, neste momento, a continuidade do nosso patrocínio está condicionada ao cancelamento da contratação do jogador pelo clube".

Kodilar (meião do uniforme)

"A Kodilar hoje pela manhã esteve em contato com a diretoria e presidência do Santos, e está cobrando um posicionamento do clube até hoje no final do dia, pedimos que o caso seja solucionado o mais rápido possível".

Philco (costas)

"A Philco vem a público informar que já encaminhou nota ao Santos Futebol Clube. E manifesta que repudia veementemente a contratação do atleta Robinho, após a constatação dos fatos.

Sempre mantivemos forte parceria com o time e seus torcedores, porém neste momento exigimos a rescisão imediata com o atleta. Caso contrário, a Philco irá revogar o contrato, pois a situação não compactua com os valores da marca. Nenhum ato de violência contra a mulher deve ser tolerado".

Casa de Apostas (omoplata)

"Como uma das patrocinadoras do Santos FC, a Casa de Apostas está atenta a todas as movimentações e informações envolvendo a contratação de Robinho. Diante dos novos fatos, notificamos o clube sobre a impossibilidade da continuidade do contrato de patrocínio caso se mantenha a decisão em prosseguir o vínculo com o jogador. Aguardamos a decisão final da diretoria do clube, até segunda-feira (19), para definirmos o futuro da parceria".

Unicesumar (calção)

"A Unicesumar esclarece que não tem nenhuma influência sobre as atividades de contratação do Santos, bem como, autoridade em qualquer de suas operações administrativas, como definição ou pagamento de salários de atletas ou colaboradores do clube. Repudiamos qualquer ato de violência e buscamos sempre promover ações para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa e solidária. Estamos em contato com o Santos e aguardamos um posicionamento do time".

Foxlux (barra traseira do uniforme)

"O Grupo Foxlux sempre acreditou e continua acreditando no esporte como ferramenta de transformação das pessoas além de ser uma estratégia de impulsionamento de nossas marcas. Continuaremos fazendo isto em todas regiões que atuamos, focados no resultado positivo que o esporte pode construir. 

Reforçamos que o contrato de patrocínio a um clube de futebol profissional não nos dá nenhuma ingerência nas ações operacionais do clube incluindo contratação e dispensa de seus profissionais, porém os fatos dos últimos dias, de forma direta, acabam impactando nossas marcas e conflitam com nossos valores de atuação. 

Desta forma e diante das novas divulgações apresentadas solicitamos ao Santos Futebol Clube informações de quais ações serão tomadas em relação ao ocorrido para que possamos decidir as melhores atitudes a serem adotadas. Reforçamos que a decisão do Clube quanto aos profissionais que ali trabalham cabem apenas ao clube, e para nós, como patrocinadores, cabe buscar a associação a propriedades que nos tragam boas experiencias e percepções.

O certo é que o Grupo Foxlux tem em seus valores “atuar de maneira ética e respeitosa seguindo as normas da empresa e principalmente as regras e leis da sociedade e dos mercados em que atuamos.” e tomaremos as atitudes necessárias que não nos vinculem a situações que não compactuam de nossa atuação no Brasil mesmo que de forma indireta como é este caso.

Aguardamos os desdobramentos das próximas horas".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas