Paulo Gustavo pediu proteção de Santa Dulce antes de ser intubado

salvador
08.04.2021, 05:00:00
(Reprodução/Facebook)

Paulo Gustavo pediu proteção de Santa Dulce antes de ser intubado

Humorista conheceu história da freira em filme de 2014; ele já doou quase R$ 1,5 milhão para as atividades das Obras Sociais Irmã Dulce

O humorista Paulo Gustavo, internado desde 13 de março e intubado por complicações da covid-19, conta com a fé e as bênçãos de Santa Dulce dos Pobres para conseguir se recuperar da doença. A relação do comediante com a freira baiana canonizada em 2019 — e com as Obras Sociais que ela criou — se cruzam constantemente desde 2017, quando mesmo sem conhecer o trabalho da instituição profundamente, ele se tornou um de seus principais apoiadores.

Quem conta essa história é Maria Rita Lopes Pontes, superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce. Em conversa com o CORREIO*, Maria Rita revelou que conversou com Paulo Gustavo minutos antes dele ser submetido à intubação, quando o comediante solicitou que ela pedisse para que Dulce cuidasse dele e de seus pulmões. 

“Meia hora antes dele ter sido intubado, às 21h do dia 22, ele me mandou uma mensagem pedindo que eu rogasse à Irmã Dulce para cuidar dele, para proteger seu pulmão. Essa foi a última mensagem que recebi dele. Ele está internado desde o dia 13 de março, que coincidentemente é a data que Santa Dulce partiu. E ele foi intubado no dia 22, que é a data que Dulce foi beatificada. A gente vê essa associação com ele. Nesse período dele internado, eu troquei mensagens de apoio e de ânimo com ele. Infelizmente não consegui falar com ele por telefone, já que é mais complicado para pacientes com dificuldades respiratórias”, conta a gestora das Osid.

“O que podemos fazer agora para um amigo deste, que é tão devoto? É rezar e pedir à Irmã Dulce — que sempre teve problemas pulmonares — que o proteja e que ele possa voltar muito em breve à família, ao trabalho. Tenho falado muito com a mãe dele, com a atual esposa do pai dele, sempre mandando mensagens positivas, que é o que a gente pode fazer, apoiar a família do Paulo Gustavo. Eu tenho certeza que logo, logo ele vai estar aqui com a gente. Eu fiz uma promessa, e quero muito pagá-la. Quero que ele esteja aqui logo. Vamos esperar ele se fortalecer para que ele possa agradecer à Santa Dulce, que com certeza está intercedendo por ele”, diz Maria Rita.

Não é possível falar em um  milagre da santa baiana, mas pouco a pouco, o estado de saúde de Paulo Gustavo vem progredindo. De acordo com o último boletim médico divulgado, o humorista apresentou, nas últimas 24 horas, “sinais de evolução progressiva, que geraram otimismo na equipe médica”. Ele  está em terapia de Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO), adotada para permitir uma melhor recuperação da função pulmonar.

Descoberta no cinema
Paulo Gustavo conheceu a história de Dulce através do filme sobre a ida da freira, lançado em novembro de 2014. O humorista compareceu à pré-estreia da película, que foi produzida pela mesma produtora dos seus filmes. A atenção foi retribuída por Maria Rita, que no ano seguinte, compareceu à pré-estreia do filme de Paulo em Salvador. A produtora dos dois filmes estava na sessão e providenciou o primeiro contato do carioca com a gestora das Obras Sociais.

“Ele conheceu a história de Irmã Dulce através do filme, que foi produzido por uma produtora no Rio de Janeiro, a Migdal Filmes, que foi a mesma que produziu os filmes dele na época. Daí ele foi convidado para assistir a pré-estreia do filme no Rio de Janeiro, com o elenco. Ele não conhecia a história de Irmã Dulce, e ficou muito impressionado com ela. Bom, o tempo passou, eu acabei indo assistir a estreia do filme dele, Minha Mãe É Uma Peça 1, aqui em Salvador, e por acaso a produtora — Iafa Britz — estava aqui em Salvador. Ela intermediou o primeiro contato com ele, por telefone, dei parabéns e falei que gostei muito do filme”, explica.

Quase R$ 1,5 milhão em doações para a OSID
Algum tempo após o primeiro contato com Irmã Dulce e com Maria Rita, Paulo Gustavo fez sua primeira ação em relação às Obras Sociais. Sozinho, o humorista financiou a construção de uma unidade de oncologia da instituição, no valor de R$ 600 mil. A doação de Paulo Gustavo foi a primeira de três grandes atos em prol da solidariedade e assistência promovida pela Osid, que somam um total de R$ 1,46 milhão destinados à melhorias nos serviços prestados pelas Obras.

“Em junho de 2017, recebi uma ligação no domingo, durante o feriado de São João, e ele me disse que queria ajudar as Obras de alguma forma. A gente estava com um projeto de uma unidade de oncologia, a unidade Dona Dulce. Eu disse tá bom, e falei que tinha em mãos um book com várias cotas para captar recursos para a construção dessa unidade, e disse que iria mandar para ele uma dessas cotas, que podiam custar entre R$ 10 mil e 20 mil reais. Ele recebeu o book e em seguida me ligou, falando que eu não tinha entendido direito. Paulo afirmou que queria ajudar e que queria dar todo o dinheiro necessário, que iria bancar a unidade. Ele depositou na terça-feira, já que a segunda era feriado, e a gente recebeu R$ 600 mil para a construção dessa unidade”, conta Maria Rita.

“O Paulo sequer conhecia a Osid. Ele fez questão de vir aqui em Salvador, para conhecer as Obras, fez o lançamento da pedra fundamental da unidade. Ele ficou de voltar para a inauguração, mas infelizmente não pôde vir, pois estava envolvido em outras situações que impossibilitaram sua presença. Ele também é muito avesso a aparecer, ele ajuda muita gente, principalmente as comunidades do Rio de Janeiro, mas ele não gosta de aparecer mesmo. Fizemos a inauguração e lá tem uma placa em sua homenagem. A Unidade vem ajudando bastante a acolher pacientes com câncer, que volta e meia tem intercorrências, especialmente aqueles que estão fazendo quimioterapia ou radioterapia”, explica.

Paulo Gustavo durante a construção da Unidade Dona Dulce, em Salvador. (Foto: Divulgação/OSID)

O segundo gesto de apoio de Paulo Gustavo às Obras Sociais Irmã Dulce foi fruto de uma quase insistência do humorista em ajudar a instituição, da forma que fosse possível. Maria Rita destaca que Paulo não apenas doou o dinheiro, mas participou de todo o processo de compra de monitores cardíacos para os leitos de enfermaria do Hospital Santo Antônio, localizado no bairro dos Mares. Segundo a gestora, o humorista negociou a compra dos equipamentos para conseguir o melhor preço possível. 

“Passado um tempo, ele me ligou e me disse: Maria Rita, eu quero ajudar, quero comprar um equipamento de ponta para vocês. Se você vê nos filmes, ele tem sempre uma preocupação em retratar a saúde, sempre tem uma cena no hospital. Daí, ele me perguntou: o que vocês estão precisando? Tão precisando de uma ressonância? Quero dar um equipamento de ponta! Respondi que havíamos dado entrada com um pedido junto ao Ministério da Saúde, e estávamos prestes a recebe-la para comprar a ressonância. Ele insistiu e pediu para pensar em alguma coisa. A gente aprendeu com Irmã Dulce a pedir apenas o que precisamos, e, é claro, algo que a outra parte pode dar. Com isso, falamos para ele que precisávamos de 33 monitores cardíacos para os pacientes das enfermarias do Hospital Santo Antônio. Ele perguntou quanto era e respondi que custava na faixa de R$ 360 mil. Ele negociou com as empresas para conseguir o melhor preço, fez o pagamento e a empresa entregou. Ele participou de todo o processo, ele gosta disso".

A última ação de Paulo Gustavo para ajudar às Obras Sociais Irmã Dulce ocorreu em março do ano passado, no início da pandemia da covid-19. Preocupado com a situação, o humorista correu ao celular e enviou mensagens para Maria Rita, perguntando o que a instituição estava precisando no momento. Com a demanda em mãos, Paulo Gustavo providenciou a compra de R$ 500 mil em equipamentos de proteção individual (EPIs) e testes para o novo coronavírus, que foram destinados aos profissionais da casa, que estavam na linha de frente do combate à pandemia.

“Quando aconteceu a pandemia, em março do ano passado, ele me mandou uma mensagem pelo WhatsApp, afirmando que estava preocupado com as pessoas, perguntando como estava nossa situação na pandemia, e disse que estava ajudando algumas comunidades no Rio, doando vale-refeição, entre outras coisas. Eu disse: olha, Paulo, estamos precisando de recursos para a proteção dos profissionais da casa, como equipamentos de proteção individual (EPI) e testes para a covid-19, que eram as nossas principais preocupações na época. Após isso, ele fez um depósito no valor de R$ 500 mil reais. Paulo sempre ficava preocupado, ligando, querendo saber como estavam as coisas, nos dizendo para nos cuidarmos. Isso eu posso dizer, pois falo muito com ele, ele ficou muito em isolamento social, usando máscara, seguindo tudo direitinho”, detalha a sobrinha de Santa Dulce.

Atuação contra a pandemia e vacinação
Referência em atendimento de saúde pública não apenas para a Bahia, mas para todo o Brasil, as Obras Sociais Irmã Dulce estão atuando em várias frentes no combate à pandemia da covid-19. Além do trabalho hospital, que envolve a gestão de dois hospitais de campanha no estado, cuidando de 361 leitos exclusivos para o tratamento do novo coronavírus apenas em Salvador, a OSID também está realizando um trabalho de distribuição de alimentos e de itens de primeira necessidade para moradores de rua, chegando a distribuir mais de 100 kits diariamente. 

“Se Santa Dulce estivesse aqui, ela ia querer estar na linha de frente, de todas as maneiras. Há um ano, iniciamos um trabalho de dar alimentação para pessoas em situação de rua — que, inclusive, o Paulo amou a ideia. Diante a gravidade da situação, estamos mantendo e renovando essa campanha. Além disso, também estamos tocando dois hospitais de campanha no Estado, cuidando de 361 leitos de covid-19 apenas em Salvador, além dos leitos no interior da Bahia. Estamos fazendo nossa parte, é um trabalho difícil, desgastante, por lidar com situações extremas de salvar vidas, mas nós não poderíamos estar de fora”, diz Maria Rita.

Por fim, mas não menos importante, a gestora da OSID ressaltou a importância da vacinação, e que as pessoas não precisam ter nenhum medo da imunização, dando como exemplo o seu próprio: Maria Rita foi uma das voluntárias imunizadas com a vacina da Pfizer durante o período de testes acontecido no ano passado em Salvador. Mas, além da imunização, ela também ressalta que não devemos deixar de tomar os outros cuidados necessários, como a utilização de máscaras, a higienização das mãos e evitar aglomerações.

“Já me vacinei, em setembro do ano passado. Participei do teste da vacina da Pfizer. Salvador foi um dos centros de pesquisa do imunizante, junto a São Paulo, e me voluntariei para participar. Imagina aí, naquela época tinha gente que tinha medo da vacina já. Gostaria que todo mundo estivesse vacinado. A gente que tá na linha de frente é que sabe a importância de atuar com tranquilidade, sem deixar de lado as outras proteções, como máscara, isolamento social e evitar aglomerações. Temos que ter todos os cuidados, não apenas a vacina, até para dar o exemplo”, finalizou.

Como ajudar
As Obras Sociais Irmã Dulce têm diversos meios para receber ajudas de pessoas, desde doações presenciais ou até mesmo através de um programa de sócio-protetor ou de doações financeiras através do sistema PIX, por cartão de crédito ou transferência bancária. Abaixo, é possível conferir todas as maneiras disponíveis de ajudar as OSID. 

Doação financeira: doações financeiras podem ser feitas pelo PIX (bradesco12154@irmadulce.org.br); por cartão de crédito e transferência bancária. Os dados das contas para transferências e para doação com cartão de crédito estão disponíveis no site www.irmadulce.org.br/doeagora.
 
Programa Sócio-Protetor: considerado uma das mais importantes fontes de recursos da instituição, o Programa Sócio-Protetor conta com as contribuições dos doadores que se fidelizam e colaboram mensalmente, através de boleto ou débito em conta. O cadastro para ser um sócio-protetor pode ser feito através do site www.irmadulce.org.br/socioprotetor.
 
Doação presencial: as doações também podem ser feitas presencialmente, no Setor de Doações da OSID, que funciona todos os dias, sendo de segunda a sexta-feira das 7h às 18h e sábado e domingo das 8h às 17h. O Setor de Doações fica na sede da OSID (Avenida Dendezeiros do Bonfim, 161, Largo de Roma - Portão 01). Entre os itens de maior necessidade estão alimentos não perecíveis e itens de higiene pessoal. Mais informações podem ser obtidas pela Central de Relacionamento com o Doador: (71) 3316-8899.

*Com a orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas