Secretários da Saúde reagem e descartam prescrição médica para vacinar crianças

saúde
24.12.2021, 13:31:00
(Divulgação )

Secretários da Saúde reagem e descartam prescrição médica para vacinar crianças

“Por isso, no lugar de dificultar, a gente procura facilitar a vacinação de todos os brasileirinhos”, diz a carta

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), divulgou, nesta sexta-feira (24), uma carta assinada pelo presidente, Carlos Eduardo de Oliveira Lula, na qual afirma que os Estados não vão exigir pedido médico prévio para vacinação de crianças. A exigência foi divulgada na noite desta quinta-feira (23) pelo ministro Marcelo Queiroga.

Em um documento intitulado “Carta de Natal do Conass às Crianças do Brasil”, o conselho cita a “naturalização” da morte de crianças por covid-19 no Brasil e relembra que “com o Zé Gotinha” já foram vencidas doenças como a poliomielite, o sarampo e outras 20 doenças imunopreveníveis. 

“Por isso, no lugar de dificultar, a gente procura facilitar a vacinação de todos os brasileirinhos”, diz a carta. E acrescenta: “Quando iniciarmos a vacinação de nossas crianças, avisem aos papais e às mamães: não será necessário nenhum documento de médico recomendando que tomem a vacina. A ciência vencerá”. 

Em entrevista coletiva, o ministro afirmou que o ministério recomendará que as crianças de 5 a 11 anos sejam vacinadas desde que haja prescrição médica e assinatura de termo de consentimento pelos pais.

A vacinação de crianças com o imunizante Pfizer foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no dia 16 de dezembro, mas tem enfrentado obstáculos junto ao ministério. Até o momento, a pasta não adotou medidas para iniciar a aplicação da vacina. 

Iniciou, no entanto, a realização de um consulta pública para ouvir a sociedade a respeito da imunização desse público. O sistema apresentou falhas na manhã de hoje.  O formulário online não permite o recebimento de mais respostas. Após finalizar as respostas, os cidadãos estão se deparando com uma mensagem dizendo que o "número máximo de pessoas já respondeu a este formulário".

Veja na íntegra: 


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas