Vai começar a Série D; veja guia completo sobre grupo dos baianos

esportes
05.06.2021, 05:49:00
Futebol baiano terá três times na Série D (Lucas Figueiredo/ CBF)

Vai começar a Série D; veja guia completo sobre grupo dos baianos

Finalistas do estadual, Atlético e Bahia de Feira estão juntos com a Juazeirense no grupo 4

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A divisão mais abrangente do futebol nacional está perto de começar. Com representantes dos 26 estados e do Distrito Federal, a Série D do Campeonato Brasileiro tem sua primeira rodada neste fim de semana, com jogos no sábado (5) e domingo (6). A Bahia terá três representantes, todos eles no grupo 4: Atlético de Alagoinhas, Bahia de Feira e Juazeirense.

O Tremendão estreia neste sábado, contra o Sergipe, às 16h, na Arena Cajueiro, em Feira de Santana. Carcará e Cancão jogam domingo, e ambos fora de casa.

Atual campeão estadual, o Atlético visita o alagoano ASA, em Arapiraca, às 16h. No mesmo horário, a Juazeirense enfrenta o Itabaiana na cidade sergipana homônima. 

O torneio tem 64 equipes, divididas em oito grupos de oito cada. Nessa primeira fase, os times se enfrentam em ida e volta, totalizando 14 rodadas. Os quatro primeiros colocados de cada chave se classificam para a segunda fase, onde já começam os confrontos em mata-mata. A partir daí, jogos de ida e volta, em que o vencedor do placar agregado passa de fase. Os quatro times que chegarem até as semifinais conseguem o acesso para a Série C.

Com os grupos prioritariamente divididos com equipes geograficamente próximas, a chave dos baianos tem times de Alagoas (ASA e Murici), Sergipe (Itabaiana e Sergipe) e Pernambuco (Retrô). A primeira rodada do torneio terá os seguintes jogos:

Bahia de Feira x Sergipe
Itabaiana x Juazeirense
Retrô x Murici
ASA x Atlético de Alagoinhas

Confira o que esperar de cada um dos times do grupo A4:

  • ASA

O time alagoano não conseguiu sequer chegar às semifinais do seu campeonato estadual, ao terminar na quinta colocação da primeira fase. No entanto, a equipe havia garantido o título da Copa Alagoas de 2020, que tem como um dos prêmios a vaga na Série D 2021. O clube venceu o CEO nos pênaltis e garantiu sua participação na competição nacional. Na edição deste ano, também deu ASA: 1x0 em cima do Coruripe, o que significa que o time também garantiu vaga na quarta divisão de 2022, caso não consiga o acesso para a Série C. A equipe de Arapiraca é treinada pelo técnico Ademir Fonseca.

  • Atlético de Alagoinhas

O Carcará chega em lua de mel para a Série D. O time de Alagoinhas fez história ao vencer o Campeonato Baiano deste ano diante do Bahia de Feira, dentro da Arena Cajueiro, onde o Tremendão havia perdido apenas quatro jogos e estava invicto no estadual. Como era de se esperar, o elenco campeão não foi poupado da procura de outros clubes e, com isso, o Atlético perdeu o atacante Ronan, artilheiro do Baianão e autor de três gols nas finais, para o Vitória. Sem perder tempo, a diretoria trouxe dois jogadores que participaram da campanha do clube na Série D: o volante Leandro Sobral e o atacante Jeam, revelado nas divisões de base do Bahia.

  • Bahia de Feira

O Tremendão bateu na trave no Campeonato Baiano e perdeu a final para o Atlético. Apesar da derrota dentro de seus domínios, o Bahia de Feira conta com a força de seu estádio para se dar bem na Série D deste ano. É a terceira participação consecutiva do clube de Feira de Santana na quarta divisão nacional, ainda que nas duas edições tenha parado na primeira fase. Para superar a marca, o tricolor fez um time inteiro de reforços para o Campeonato Brasileiro: foram 11 contratados apresentados na Arena Cajueiro até o momento.

  • Itabaiana

Apelidado de Tremendão assim como o Bahia de Feira, o tricolor fez boa campanha no estadual e parou nas semifinais para o Lagarto, após terminar a fase de grupos com a segunda melhor campanha. A equipe é treinada pelo baiano Evandro Guimarães, que já comandou Juazeirense, Fluminense de Feira e Vitória da Conquista. Neste último, inclusive, esteve à frente na campanha de vice-campeonato da equipe do sudoeste baiano no estadual de 2015, quando chegou a vencer a primeira partida da decisão contra o Bahia por 3x0, mas levou 6x0 em Salvador e viu o troféu ficar na capital.

  • Juazeirense

O time do norte do estado chega com a moral de ser o único do grupo a estar na Copa do Brasil. Depois da estreia na Série D, joga a vida na competição mata-mata contra o Cruzeiro, em Juazeiro, após perder a ida por 1x0. Vivo na Copa, a Juazeirense foi líder do Campeonato Baiano na primeira fase, mas caiu para o campeão Atlético nas semis. Com o fim do estadual e o início da Série D, o Cancão passou por uma reformulação no elenco, com cinco saídas e, até então, quatro contratações. Uma delas é o atacante Toni Galego, que já acumula três passagens pelo clube. Quem também chegou como velho conhecido da torcida é o técnico Carlos Rabelo, com passagens nos anos de 2017, 2019 e 2020. Na primeira delas, conquistou o acesso para a Série C 2018, a primeira subida da história de um clube baiano da quarta para a terceira divisão.

  • Murici

O alviverde alagoano esteve muito perto de chegar às semifinais do estadual. Era o quarto colocado até a última rodada, mas uma derrota para o ASA o tirou da zona de classificação. A equipe tem nomes conhecidos da torcida do Bahia no elenco, como o atacante Reinaldo Alagoano, que atuou no clube em 2009, e o volante Boquita, que teve rápida passagem pelo Esquadrão no retorno à elite, em 2011. Mesmo com a eliminação precoce no Campeonato Alagoano, o técnico Jadson Oliveira chegou a ser indicado como o melhor técnico do estadual, mas o prêmio acabou vencido por Bruno Pivetti, ex-Vitória e atualmente no CSA. O veterano Zé Carlos, ex-CRB e Criciúma, jogou o estadual pelo alviverde, mas rescindiu contrato no fim de abril, e chegou a ser preso no fim de maio, acusado de agredir uma mulher.

  • Retrô

São apenas cinco anos de existência, mas o Retrô já chamou a atenção do Brasil inteiro neste início de temporada. O time pernambucano eliminou o Brusque na primeira rodada da Copa do Brasil e vendeu caro a eliminação na segunda fase, para o Corinthians. Jogando um futebol ofensivo, a equipe surpreendeu e levou a decisão da vaga para os pênaltis, que terminou na mão dos paulistas. Por outro lado, não conseguiu ir tão bem no Campeonato Pernambucano, onde ficou com uma modesta sétima colocação e precisou disputar o quadrangular contra o rebaixamento, o qual terminou como primeiro colocado.

  • Sergipe

Assim como o Itabaiana, é treinado por quem tem história no futebol baiano: Elias Borges, que chegou a comandar o Doce Mel durante o Baianão deste ano, mas deixou o clube no mês de abril para voltar ao Sergipe. Na equipe de Ipiaú, venceu a segunda divisão do Campeonato Baiano em 2019, e treinou Serrano, Vitória da Conquista e Atlanta durante a sua carreira. Elias retornou ao Sergipe em abril para comandar a equipe na reta final do estadual, que terminou com título em cima do Lagarto. Apesar do troféu levantado, o time fez uma reformulação no elenco e já anunciou oito reforços para a Série D.

*Sob orientação do editor Herbem Gramacho.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas