Vídeos de bolsonaristas celebrando falso estado de sítio viralizam: 'Conseguimos'

brasil
09.09.2021, 09:00:00
Atualizado: 09.09.2021, 10:02:52
(Reprodução)

Vídeos de bolsonaristas celebrando falso estado de sítio viralizam: 'Conseguimos'

Outros, como o foragido Zé Trovão, ficaram decepcionados com áudio de Bolsonaro para desmobilizar caminhoneiros

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram momento de euforia e também confusão entre bolsonaristas que estão em protestos em Brasília e outros pontos do Brasil nesta quarta-feira (8). Acreditando erroneamente que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decretou estado de sítio no país, vários apoiadores gravaram vídeo celebrando.

"Desculpa pela emoção, mas nossa luta, nossa garra, valeu a pena. Ficamos sabendo agora que o presidente resolveu agir e declarou estado de sítio", diz um apoiador, em meio a buzinas de caminhões, em vídeo publicado no início da madrugada.

Outro vídeo mostra dois homens que afirmam que foram de Lages (SC) para Brasília, onde estão em um acampamento de bolsonaristas. "Conseguimos, fizemos parte. Estado de sítio! Vamos tirar os vagabundos de lá! Conseguimos tirar os 11!", celebram, abraçados. 

Bolsonaro não decretou nenhum estado de exceção no país. Além disso, na noite de ontem, ele gravou um áudio pedindo que os caminhoneiros que fecham rodovias pelo país em apoio a ele liberem as vias. As manifestações acontecem depois do protesto de 7 de setembro em que Bolsonaro fez discurso com ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF). 

“Fala para os caminhoneiros aí que são nossos aliados, mas esses bloqueios aí atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo, em especial os mais pobres. Então, dá um toque nos caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade”, diz Bolsonaro. A veracidade foi confirmada por ministros.

Mesmo com o áudio, nem todos acreditaram. O caminhoneiro Marcos Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, que já teve prisão decretada e está foragido, aparece inconformado em imagens pedindo que Bolsonaro faça um vídeo com registro de dia e hora para acreditar que a mensagem é verdadeira. 

"São exatamente 1h35 da manhã. Vocês podem ver minha cara de cansado, o dia inteiro lutando. Agora está rolando nas redes sociais que o presidente fez áudio pedindo que os caminhoneiros liberassem a pista", diz. "Queremos que o senhor fale pro povo brasileiro isso, faça um vídeo, fale a data e o dia e fale para os caminhoneiros abrir. Sem isso, não vou fazer. Não dá mais para confiar em áudio, em vídeo sem data. O que precisamos é isso", acrescenta.

Em outro vídeo, ele diz que o povo "precisa de Bolsonaro". "O senhor está nos convocando desde o começo do ano", diz. "Vamos trancar todo Brasil porque estamos do lado do senhor", finaliza. Zé Trovão teve a prisão decretada por Alexandre de Moraes na semana passada a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) por incitação a atos violentos e ameaçadores contra a democracia.

Na manhã desta quarta, atos de caminhoneiros a favor de Bolsonaro continuam pelo país. Na Bahia, há pelo menos cinco pontos de manifestações do tipo, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os atos não são unificados e convocados por entidades que representam os caminhoneiros.

Estado de sítio
A Constituição Federal diz em seu artigo 137 que o presidente da República pode pedir autorização para decretar estado de sítio em duas situações: comoção grave de repercussão nacional ou ocorrência de fatos que comprovem a ineficácia de medida tomada durante estado de defesa; ou em caso de declaração de estado de guerra ou resposta a agressão armada estrangeira.

O presidente pode decretar o estado de sítio, mas precisa de autorização de outras instâncias. Ele deve ouvir tanto o Conselho da República quanto o Conselho de Segurança Nacional para isso. Após essa consulta, ele deve pedir a autorização ao Congresso Nacional. O decreto é aprovado só com maioria absoluta (50%+1).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas