YoutUbers: motoristas de app ganham até R$ 4 mil por mês fazendo lives das corridas

em alta
25.05.2021, 05:45:00
Atualizado: 25.05.2021, 12:14:49
(Foto: Reprodução)

YoutUbers: motoristas de app ganham até R$ 4 mil por mês fazendo lives das corridas

Milhares de passageiros virtuais acompanham transmissões

A corrida é para no máximo 4 passageiros, mas na carona vão outras centenas de pessoas acompanhando o trajeto e ouvindo a conversa dentro do carro em tempo real graças a uma transmissão ao vivo na internet.

São os ‘YoutUbers’, motoristas de aplicativo que encontraram nas lives uma forma de aumentar seus lucros durante o trabalho. 

No Brasil, o maior expoente da categoria é o Na Lata Driver, com 1,29 milhão de inscritos no YouTube. Na Bahia a moda também já pegou.

Dentre os representantes baianos está Atan Uber, que já fazia sucesso no Instagram, mas decidiu migrar parte de seu conteúdo para a plataforma de vídeos há menos de um mês.

Veja um trecho da corrida que a fotógrafa Paula Fróes, do CORREIO, fez com Atan Uber

Deu certo. O Nissan Versa emperiquitado com luz neon no teto virou o condutor do entretenimento de milhares de quarentenados com “sextous” frustrados.

Já são quase 4 mil inscritos e dezenas de milhares de visualizações em seus vídeos. Além do alcance, o resultado veio melhor que muita tarifa dinâmica: R$ 4 mil logo em seu mês de estreia, dobrando seus rendimentos na plataforma.

“Me marcaram numa publicação no Instagram falando dessa febre e eu resolvi começar. Em menos de um mês, já cheguei a bater 390 pessoas assistindo simultaneamente”, revela Atan, que costuma fazer suas transmissões pela madrugada.

“Isso também está ajudando muita gente. A galera fala que está triste em casa, sem sono, e fica resenhando comigo e a galera do chat”, diz o motorista.

Atan já é reconhecido pelos passageiros (Foto: Reprodução)

Mais que uma corrida
As ruas de Salvador e a resenha com o passageiro são parte importante do entretenimento. Mas para uma live ser 5 estrelas, precisa ter mais.

É comum a audiência mandar dinheiro pedindo para Atan cumprir algum desafio, como parar o carro em uma avenida e começar a dançar no meio da rua. 

Também há os passageiros marcantes, como uma tal Solange que o convidou para uma feijoada privativa. Uma resenha que a audiência e, principalmente, a esposa não esquecem.

“Essa passageira ficou me queixando, me convidando pra comer um feijão na casa dela. Eu, claro, recusei dizendo que era casado. Mas ela não desistiu e chegou a oferecer uma amiga dela. Até hoje a galera gasta. E a patroa não considerou, mesmo eu negando. Até hoje ela comenta disso em casa e quando alguém fala do ‘feijão da Solange’ ela pega ar”, narra o paquerado.

Fama
Atan já fazia sucesso no Instagram antes de virar YoutUber. Na rede, ele soma mais de 50 mil seguidores. Com isso, ele já é reconhecido até pela galera “do movimento”, como ele mesmo descreve.

Ao entrar em áreas controladas pelo tráfico, ele sempre interrompe a transmissão para evitar filmar pessoas armadas e eventuais cenas de violência. 

“Já teve situação dos próprios caras do movimento falar que estão vendo a live. Uma vez  eu dei uma balinha para um morador de rua. Aí essa bala chegou até a biqueira. Aí o cara gravou um vídeo dizendo ‘sua bala é diferenciada. Original da parada. Sua bala chegou aqui na biqueira. Entrou um maloqueiro que trouxe pra nós aqui. É bom que qualquer coisa a galera já me conhece. Ninguém mexe”, pondera o motorista.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas