'Quando brigavam, ele a atormentava', diz vereadora sobre suspeito de matar assessora parlamentar

bahia
02.05.2017, 15:27:00
Atualizado: 02.05.2017, 15:56:48

'Quando brigavam, ele a atormentava', diz vereadora sobre suspeito de matar assessora parlamentar

Segundo amiga da vítima de assassinato em Jeremoabo, casal vivia uma relação conturbada. Suspeito do crime foi preso

Amiga próxima da assessora parlamentar Izabelly Oliveira Bispo Souza, 26 anos, a vereadora da cidade de Jeremoabo Diana Santana dos Santos disse em entrevista ao CORREIO que a jovem encontrada morta na madrugada de segunda-feira (1º) vivia um relacionamento conturbado com o ex-namorado, Raul de Jesus, 24, principal suspeito de cometer o crime.

"Ele sempre se mostrou uma pessoa perturbada. Não sabíamos muito sobre ele. Sempre que a Izabelly e o Raul terminavam, ele ficava atormentando todos os amigos da Izabelly, ligando para os celulares para saber onde ela estava e o que estava fazendo", disse Diana.

O comportamento de Raul, segundo a vereadora, contrastava bastante com o de Izabelly. "Ela era uma menina jovem, mas muito centrada, muito determinada. Falávamos sempre que o Raul não era homem pra ela". Diana contou também que Raul, que trabalhava como entregador em uma empresa de bebidas, chegou a colocar a própria mãe para fora de casa.

A assessora parlamentar Izabelly Oliveira, 26 anos, vítima de assassinato (Foto: Reprodução)

Apesar do aparente desequilíbrio do rapaz, nunca passou pela cabeça dos amigos de Izabelly que ele fosse capaz de praticar um ato tão bárbaro contra ela. "Nunca imaginei que ele fosse capaz disso. Até porque a Izabelly não falava muito da vida pessoal e sempre dizia que estava bem. Quando soube da notícia da morte fiquei sem chão", desabafou Diana.

Na véspera do crime, Diana e Izabelly se encontraram para participar de uma cavalgada na cidade. A última foto postada por Izabelly nas redes sociais, inclusive, anunciava a partida para o evento. "E lá vou eu... Cavalgada de São Jorge!", diz a legenda.

"Nos encontramos na cavalgada e fizemos todo o percurso juntas, em seguida fizemos um lanche em uma lanchonete e depois deixei ela em casa. Por volta das 5h da manhã de ontem, meu celular tocou e era um amigo nosso contanto que haviam encontrado o corpo de uma mulher na casa do Raul que poderia ser da Izabelly", explicou a vereadora.

Prisão do suspeito
Ainda de acordo com a vereadora, a mãe da jovem disse que após Izabelly chegar em casa, na noite de domingo, Raul foi até a residência e eles saíram juntos. Horas depois, o crime foi cometido. Raul foi preso nesta terça-feira (2) e, após ser ouvido, foi levado para o presídio de Paulo Afonso. Além de, segundo a polícia, matar a vítima com arma branca, Raul também ateou fogo no imóvel logo após o crime.

Diana e Izabelly eram amigas há seis anos. Elas se conheceram através de um irmão da assessora. "Era minha irmã, não tenho palavra para descrever como era nossa amizade", falou. Além do trabalho na Câmara de Vereadores, Izabelly havia se matriculado em um curso técnico de enfermagem e na sexta-feira (28) tinha ido para o seu primeiro dia de estágio. Ela deixou duas filhas: Nicole, 9 anos, e Maria, 4.