Criança que teve órgão genital decepado recebe apoio em vaquinha para tratamento

O crime cometido contra o menino de 5 anos aconteceu no final do ano passado em Canindé, no Ceará

Publicado em 12 de fevereiro de 2024 às 21:24

Crime foi denunciado à Delegacia Regional de Canindé
Crime foi denunciado à Delegacia Regional de Canindé Crédito: Divulgação/Governo do Ceará

Vítima de um crime brutal na cidade de Canindé no fim de 2023, um menino de 5 anos que teve o órgão genital decepado supostamente pelo padrasto ganha apoio popular para custear seus tratamentos. A identidade do suspeito não será divulgada para preservar a imagem da vítima.

A mutilação que chocou o estado do Ceará, aconteceu no dia 6 de dezembro. Desde então, uma vaquinha foi criada para auxiliar a família do garoto, chegando a ser arrecadados R$ 201,9 mil para o tratamento físico e psicológico da criança.

A vaquinha alcançou uma rede de solidariedade de mais de 6,4 mil pessoas. A meta de dinheiro arrecadado para tratamento da criança era, inicialmente, de R$ 150 mil. Superando a expectativa do valor inicial, o criador da vaquinha, no site voaa.me, se expressou:

"Nós conseguimos! Com o valor que já conseguimos, o tratamento começará e o pequeno ainda terá toda a ajuda psicológica. A saúde mental e física do (nome do menino) é prioridade".

O menino foi encaminhado ao hospital Instituto Doutor José Frota, em Fortaleza, no fim do ano passado, com o órgão cortado e mantido dentro de uma caixa de isopor. Apesar do sucesso dos médicos em reimplantar o órgão, outras cirurgias urgentes ainda são necessárias, além de acompanhamento psicológico.

No dia em que o garoto chegou ao hospital, os médicos se chocaram pela estranheza do caso e notaram que a mãe apresentava diferentes versões do incidente.

A investigação da Polícia Civil do Ceará aponta que o menino teria passado por uma série de abusos físicos e psicológicos da mãe e do padrasto, além de ser mantido afastado de seu pai biológico e demais parentes.

O padrasto, de 26 anos, foi preso pelo crime de lesão corporal grave, a mãe, de 27, foi indiciada por omissão, mas responderá em liberdade.

A Polícia acredita que o objeto que o padrasto utilizou para realização do crime foi uma faca. Não há informações sobre a motivação que o levou a realizar o ato ou a série de abusos cometidos contra a criança.

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) se pronunciou: "o homem, de 26 anos, e a mulher, de 27 anos, foram indiciados por lesão corporal grave e omissão, respectivamente" pelos crimes que " aconteceram contra uma criança de cinco anos, em 6 de dezembro de 2023, na cidade de Canindé - Área Integrada de Segurança 15 (AIS 15) do Estado".

Em entrevistas a rádios locais, o delegado Daniel Aragão, titular da Delegacia Regional de Canindé, afirmou que diversos boletins de ocorrência já haviam sido feitos por maus-tratos contra a criança. Informalmente, o suspeito negou o crime aos policiais.

O delegado também contou que a mãe da criança teria dado versões conflitantes sobre a lesão sofrida pelo filho. As versões afirmavam que as lesões teriam sido provocadas por picadas de inseto, arames de caderno ou alergia.