APÓS 18 ANOS

Ex-deputado americano George Santos retorna como drag queen Kitara Ravache

A performance ocorreu no site Cameo, especializado na venda de vídeos de celebridades

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 2 de maio de 2024 às 11:06

Drag queen Kitara Ravache
Drag queen Kitara Ravache Crédito: Reprodução

O ex-deputado americano George Santos, filho de brasileiros que foi expulso do Congresso dos Estados Unidos em 2023 e que ficou famoso por mentiras e controvérsias em relação ao seu currículo, voltou a performar como a drag queen Kitara Ravache, depois de 18 anos.

A performance ocorreu no site Cameo, especializado na venda de vídeos de celebridades. "Aqui é Kitara, sua favorita, depois de 18 anos no armário George Santos me trouxe de volta", diz Santos no vídeo.

"Ouvi dizer que vocês são um bando de malucos e adoram dançar a noite toda, como se não fosse da conta de ninguém", aponta Santos a seus seguidores.

Cassação

Santos teve seu mandato cassado como deputado em dezembro de 2023 após uma votação bipartidária histórica. O legislador que representava Nova York ganhou destaque após as eleições de meio de mandato de 2022 quando jornais americanos revelaram uma série de mentiras e fraudes que lhe renderam 23 acusações federais.

A medida consolidou Santos, que ao longo de sua curta carreira política inventou ligações com o Holocausto, o 11 de setembro e o tiroteio na boate Pulse em Orlando, a um lugar genuíno na história: ele se tornou a primeira pessoa a ser removida do Congresso sem primeiro ser condenado por um crime federal. Esta é a quinta vez que a Câmara americana cassa um congressista, e a última havia sido há mais de 20 anos.

A votação, que exigia uma maioria de dois terços, foi aprovada com 311 legisladores a favor da cassação, incluindo 105 republicanos, e 114 contra.

Acusações

O brasileiro enfrenta 23 acusações criminais federais, incluindo fraude, lavagem de dinheiro, falsificação de registros e roubo de identidade agravado. Ele se declarou inocente dessas acusações.

No Brasil, ele confessou o crime de estelionato no qual era investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e fechou um acordo de não persecução penal com o órgão. Santos concordou pagar cerca de R$ 10 mil a instituições de caridade e R$ 14 mil à vítima do crime, ocorrido em 2008.

A Promotoria do Rio investigava o uso de cheques sem fundos por George Santos para comprar roupas em uma loja em Niterói (RJ). Santos teria roubado da bolsa da mãe um talão de cheques de um idoso que ela cuidava e gastado R$ 2.144 à época. O caso foi arquivado em 2011 porque a Justiça brasileira não conseguiu localizar Santos, que estava morando nos EUA. O caso foi reaberto em janeiro deste ano após as revelações sobre as mentiras do então deputado eleito.

Nova eleição

Após a cassação de Santos, que era do Partido Republicano, uma nova eleição foi realizada em Nova York, mas dessa vez o posto vago ficou com o Partido Democrata. Tom Suozzi derrotou a republicana Mazi Pilip. A vitória de Suozzi reduziu a maioria republicana na Câmara e pode contribuir para votações acirradas. O Partido possui 217 congressistas, contra 213 dos democratas. (Com agências internacionais).