Reduto cool no Carmo, Cafélier completa 30 anos e comemora com celebração especial em abril

Espaço inaugurou no Pelourinho

  • Foto do(a) author(a) Alô Alô Bahia
  • Alô Alô Bahia

Publicado em 29 de março de 2024 às 16:33

Cafélier
Cafélier Crédito: Divulgação

É na rua de paralelepípedos do Santo Antônio Além do Carmo, no Centro Histórico de Salvador, que fica um dos endereços mais tradicionais do roteiro gastronômico da cidade: o Cafélier. Parada obrigatória de soteropolitanos e turistas, o espaço completa, no próximo dia 14 de abril, 30 anos de atividade e vai realizar uma celebração especial, em sua famosa varanda, com uma proposta que explora um dos seus pontos altos: o fim de tarde com a vista do pôr do Sol para a Baía de Todos os Santos.

O Cafélier é liderado pelo artista plástico de formação Paulo Vaz, que deu início a essa história em 14 de abril de 1994 - que, por coincidência é o Dia Mundial do Café -, no Pelourinho, onde funcionou por dez anos. Foi somente em 2004 que o espaço se mudou para o famoso endereço no Carmo. O estabelecimento é um dos pioneiros no bairro, que, na época, ao contrário do que é hoje, não tinha muitos estabelecimentos e pontos badalados.

De destaque no The New York Times pelo cardápio a visitas de artistas internacionais, como o ator norte-americano Willem Dafoe, que acumula quatro indicações ao Oscar e está em cartaz nos cinemas no multipremiado “Pobres Criaturas”, o bistrô, doceria e restaurante é um lugar disputado entre soteropolitanos e turistas que lotam a casa todos os dias.

“É a história de um sucesso conquistado através de muito trabalho. Ao longo dessas três décadas, muitas pessoas acreditaram nesse projeto e dedicaram seu tempo para termos, em Salvador, um espaço como o Cafelier, onde é possível ter acesso a um cardápio reconhecido internacionalmente por sua qualidade, um lugar para boas conversas, para ver arte, para celebrar a beleza e a cultura de Salvador”, comenta o empresário Paulo Vaz em entrevista ao Alô Alô Bahia.

Se Dafoe figura como uma das celebridades internacionais que, em sua vinda a Salvador, não deixou o Cafélier de fora da rota, a lista de personalidades brasileiras que passaram por lá é grande. Maria Bethânia, Vanessa da Mata, Margareth Menezes – atual ministra da Cultura –, Gugu Liberato, Malu Mader, Sônia Braga, Vik Muniz, Antônio e Camila Pitanga, Bruno Gagliasso, Thiaguinho, Antônio Carlos Magalhães e Regina Casé são alguns nomes que ajudaram a formar ou foram conhecer a fama do local.

Mas não é só a visita de artistas que justifica o sucesso do lugar. Ao longo dos 30 anos, Paulo investiu em programações diversificadas para o uso do espaço multicultural, fazendo valer a sua ideia original de ser um café e ateliê no Centro de Salvador e abrindo a casa para ações multiculturais, como exposições com temáticas diversas e curiosas. O público já pôde ver por lá a coleção de xícaras do local - peças assinadas por nomes como Carlos Bastos, Calazans Neto e Tati Moreno - e até uma coleção de roupas de dormir.

“O segredo do sucesso é sempre acreditar e ter amor em primeiro lugar. Cuidar bem da casa, da equipe, do cardápio, para que tudo saia certo. Faço o Cafélier como se fosse minha casa e quero que o cliente se sinta em casa, aproveite da linda vista e desfrute do cardápio honesto e com preços justos. É um conjunto de coisas que levam ao sucesso”, resume Vaz.