'Não pode ir administrar resultado': Léo Condé exalta jogadores e projeta Ba-Vi da volta

Vitória abriu vantagem sobre o Bahia na final do Baianão após vencer de virada no Barradão

  • Foto do(a) author(a) Wendel de Novais
  • Wendel de Novais

Publicado em 31 de março de 2024 às 20:11

Vitória joga volta com vantagem após vencer de virada por 3 a 2 Crédito: Arisson Marinho/CORREIO

Nem mesmo virada espetacular do Vitória sobre o Bahia por 3 a 2 no jogo de ida da final do Campeonato Baiano tirou a cautela de Léo Condé na entrevista coletiva depois do jogo. Além de exaltar a equipe rubro-negra e a sinergia com a torcida de dentro de casa, o comandante do Leão destacou que o time vai para a Fonte Nova, no jogo de volta da final no próximo domingo (7), para competir. Mesmo podendo jogar pelo empate para garantir o título estadual, Condé fez questão de ressaltar que vai preparar o seu grupo para mais um jogo disputado, onde o Rubro-Negro vai tentar fazer mais um grande jogo para garantir um título que não vem desde o ano de 2017.

"A tendência é que seja mais um grande jogo disputado, onde eles vão tentar reverter a nossa vantagem e a gente vai tentar aproveitar o que criamos aqui dentro da nossa casa. A gente não pode ir lá para administrar resultados, a gente tem que ir lá para jogar, competir, fazer um grande jogo e quem sabe no final poder comemorar", disse o treinador, afirmando que o time precisa manter o foco para conseguir levantar a taça do Baianão.

O treinador exaltou o grupo do Vitória como um todo na conversa com jornalistas, mas deu ênfase para o comentário sobre o atacante Matheus Gonçalves, que saiu do banco para marcar duas vezes e ajudar o Leão a vencer. No Ba-Vi pela Copa do Nordeste, quando o Rubro-Negro acabou derrotado, Matheus foi expulso por agressão contra Caio Alexandre com poucos minutos em campo. Condé afirmou que o grupo abraçou o atacante após o erro, o que contribuiu para atuação dele neste domingo.

"Futebol tem essas coisas, de querer sempre achar um vilão, achar um culpado e talvez seria fácil da minha parte transferir pra ele naquele momento ali a derrota. Eu jamais vou fazer isso e o nosso grupo tem essa característica, tá sempre um abraçando o outro nos momentos de dificuldade. Aconteceu com ele, e foi o que o grupo fez, todo mundo abraçou. O Mateus sabe que foi um fato isolado, continou trabalhando e a gente fica feliz pela atuação dele", disse Condé.

auto-upload
Matheus Gonçalves fez dois gols e se redimiu com a torcida Crédito: Arisson Marinho/CORREIO

O técnico comentou também os 17 minutos iniciais da segunda etapa, quando Thaciano e Cauly marcaram abriram vantagem para o Bahia. Na visão de Condé, não houve um apagão do time, mas erros pontuais em 'gols evitáveis'. Ele pontuou, porém, que a equipe manteve a postura de não se desanimar, seguir buscando o ataque e foi premiada por isso.

"A gente acabou sofrendo o segundo gol, mas a equipe mostrou personalidade, continuou jogando, não se abateu até porque essa equipe nossa criou casca. Então, a gente sabe da nossa capacidade de superação. Continuamos jogando, demos volume no jogo e depois, principalmente, a partir do momento da entrada dos novos atletas, a gente conseguiu elevar o nosso nível de atuação e pressionamos muito a equipe do Bahia", completou Condé.

O jogo de volta da final do Campeonato Baiano está marcado para às 16h do próximo domingo (7) na Fonte Nova. O Vitória joga pelo empate para garantir a conquista do estadual. Já o Bahia, precisa de uma vitória simples para levar a decisão para os pênaltis ou ganhar por dois ou mais gols de diferença para se sagrar campeão.