TUDO IGUAL

No retorno à Série A do Brasileirão, Criciúma e Juventude ficam no empate de 1 a 1

Equipes se enfrentaram no estádio Heriberto Hulse

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 13 de abril de 2024 às 21:09

Renato Kayser cricúma
Renato Kayser comemora gol pelo Criciúma; o primeiro do Brasileirão 2024 Crédito: Celso da Luz/ Assessoria de imprensa C.E.C.

Recém promovidos à Série A do Campeonato Brasileiro, Criciúma e Juventude ainda estão com espírito de Série B. Neste sábado, a dupla fez um jogo parelho, de muita disposição e pouca inspiração, protagonizando o primeiro empate ao ficarem no 1 a 1 no estádio Heriberto Hulse, em Criciúma (SC), no duelo que abriu o Campeonato Brasileiro de 2025.

Retornando à elite após 10 anos, o Criciúma soma seu primeiro ponto, em um campeonato cuja meta é a permanência. Já o Juventude fez o tradicional "bate e volta" e também inicia o torneio de olho nos 45 pontos para se manter na elite.

As duas equipes impuseram um ritmo forte no início, construindo bastante e arriscando de longe. Pelo lado do Juventude, o experiente Gilberto é quem levava mais perigo, principalmente em chutes cruzados. Já o Criciúma procurou surpreender pelo alto. Kayzer ajeitou e Eder foi derrubado na área, mas o pênalti foi cancelado pelo VAR, que apontou impedimento no lance.

Apostando ainda na jogada aérea, Kayzer abriu o placar para o time da casa. Após lançamento na área, Hermes cabeceou para o meio da área, o atacante dominou com estilo e virou para marcar um belo gol, aos 34. Na reta final, a chuva começou a castigar o gramado deixando o jogo truncado no meio de campo. Os visitantes até ensaiaram uma pressão, mas sem sucesso.

A segunda etapa começou em marcha lenta. Mesmo com a chuva dando uma trégua, as duas equipes pecaram na hora de concluir a gol, principalmente com o gramado apresentando sinais de lama em algumas partes. Se coletivamente o jogo não andava, Jean Carlos resolveu sozinho e empatou a partida aos 18. O meia fez bela jogada individual e bateu forte, rasteiro, para marcar.

Quem achou que o gol ia deixar o duelo aberto, se enganou. O que sobrou foi muita disposição e pouca inspiração para superar as adversidades do gramado. As raras oportunidades saíam jogadas individuais, como o chute de Marcelinho, defendido Alisson, e quando o congolês Bolasie fintou a marcação e cruzou para Felipe Mateus, que parou em Gabriel.

Na segunda rodada, o Criciúma visita o Atlético-MG, na quarta-feira, às 20h00, na Arena MRV, em Belo Horizonte. No mesmo dia e horário, o Juventude recebe o Corinthians, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.