Painel sobre Economia Criativa reúne nomes das artes e da gastronomia no Agenda Bahia

Evento gratuito realizado pelo Jornal CORREIO nesta sexta-feira (11), no SENAI CIMATEC, vai discutir temas atuais

  • Foto do(a) author(a) Estúdio Correio
  • Estúdio Correio

Publicado em 9 de agosto de 2023 às 06:00

Pedro Tourinho, Carlos Prazeres e Tereza Paim participam do painel mediado por Fernando Guerreiro
Pedro Tourinho, Carlos Prazeres e Tereza Paim participam do painel mediado por Fernando Guerreiro Crédito: Divulgação, Gabriel Guido, divulgação e Paulo Telles

Ao vencer o Prêmio Profissionais da Música 2023, a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), regida há 11 anos por Carlos Prazeres, provou que seus projetos musicais, além popularizar a música de concerto, conectar pessoas e valorizar diversos gêneros, colocam a cultura baiana em destaque com reconhecimento nacional. Nada mais alinhado à Economia Criativa, tema de um dos painéis do Agenda Bahia que terá a presença do maestro e oboista.

Participam ainda como painelistas o secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Pedro Tourinho e a chef Tereza Paim. O presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, será o mediador do painel, que integra a programação do evento, realizado nesta sexta-feira, 11, pelo Jornal CORREIO no SENAl CIMATEC, em Piatã. Mestre em Direito Público, produtor cultural e escritor, João Jorge Rodrigues, presidente da Fundação Cultural Palmares, marcará presença através de vídeo.

Além do painel sobre Economia Criativa, o Agenda Bahia, considerado um dos principais eventos de inovação do Nordeste, promoverá outras discussões sobre temas de interesse da sociedade. O projeto, destaque no debate do desenvolvimento econômico e social do estado, terá como tema “Conectados” e reunirá profissionais de renome em áreas distintas, como tecnologia, games, afroempreendedorismo, que participarão dos diversos painéis e talks que compõem sua programação.

Para assistir presencialmente é preciso apenas se inscrever, de forma gratuita, pelo site agendabahiacorreio.com.br. O evento será transmitido ao vivo no mesmo link.

Identidade

"A Bahia é um estado no qual a cultura tem um papel fundamental, não só para a identidade de sua população, mas também para a economia local. Como uma orquestra situada na Bahia, a OSBA não poderia se furtar de ser uma entidade que preza pela inovação e pela diversidade cultural, sempre em diálogo com a sociedade baiana, seja na música de concerto, seja nas diversas manifestações artísticas, que os baianos se destacam nacional e internacionalmente", ressalta o maestro carioca, que, em 2015, recebeu o título de Cidadão Baiano Honorário e, em 2021, o título de Cidadão Soteropolitano.

A regência da OSBA possibilita a Carlos Prazeres apresentar a música de concerto de uma forma diferente, leve e divertida, o que atrai o público e o aproxima da música orquestral, lotando apresentações e elevando o trabalho de 65 músicos. "Sempre busco que a orquestra seja uma extensão e representação da nossa sociedade”. Entre as iniciativas destacam-se as séries em homenagens a Jorge Amado (principais concertos), Mãe Menininha (uma apresentação mais intimista), Carybé (voltada para a música da Câmara), e ainda o OSBArris, que é uma festa de largo nos Barris.

"Estes são projetos 100% voltados para a música de concerto, pois achamos uma estratégia importante dialogar também com as festas e manifestações populares do estado, como o Carnaval, com o nosso Baile Concerto, São João Sinfônico e até mesmo a música romântica/brega baiana e nacional, com o OSBrega", explica Prazeres.

Viver de teatro

"Na hora em que estou numa sala de ensaio criando, eu tenho que ser informal, mas todo o meu entorno tem que ser muito bem formalizado. Quando resolvi trabalhar com isso, já tinha a ideia de que precisava sobreviver, quebrando o paradigma de que teatro era hobby. A partir daí, a minha vida se transformou em um case de economia criativa, porque provei que era possível viver de teatro na Bahia, mas com gestão". O depoimento é do diretor teatral e presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, que vai mediar o painel sobre Economia Criativa.

"O Agenda Bahia já é um evento consagrado, que sempre trata temas muito pertinentes e acho que economia criativa entra aí com um holofote muito especial, porque é o tema que se deve discutir na Bahia hoje. A gente precisa trazer o foco para a cultura cada vez mais", destaca Guerreiro.

Na retomada após a pandemia, essa discussão vem ancorar o compromisso do setor criativo com a profissionalização de toda a cadeia. Isso já existe no segmento de eventos, sobretudo, do Carnaval, que desenvolveu tecnologia própria para existir do jeito que é, em Salvador. A música, a gastronomia e a moda são outras linguagens da economia criativa que seguem os mesmos passos, com os próprios alicerces para gerar renda e postos de trabalho.

A novidade é o crescimento do audiovisual. "A grande revolução vai ser o audiovisual, porque a multiplataforma abriu o mercado. Quando você fala de audiovisual, não fala só de cinema; tem do DOC feito para o canal fechado às experiências específicas para internet e game”, afirma.

Tempero baiano

Empreendedora, mãe, avó, esportista, a chef Tereza Paim é uma das grandes representantes da economia criativa na Bahia. À frente dos restaurantes Casa de Tereza, Boteco da Teté, Mesa de Tereza e Tabuleiro da Chef, além da marca Tabuleiro da Chef, é responsável pela geração de 76 empregos e seu nome é conhecido aqui e fora do país.

"Nossa gastronomia é reflexo de nossa cultura, tão desejada pelos quatro cantos do mundo. Recentemente, a moqueca baiana foi eleita um dos 20 pratos mais saborosos do mundo no quesito Comida Típica. Isso já deixa muita gente do mundo querendo nos visitar". A chef ressalta que a pandemia fez muita gente repensar a vida e seus afazeres, e daí surgiram não só artistas, mas cozinheiros talentosos. Em muitos casos, isto foi como um renascimento e uma reconexão com as próprias raízes. "A origem diz quem somos e nos dá firmeza para desenvolver o que seremos", enfatiza.

Economia Criativa representa mais de 3% do PIB do país

A economia criativa com suas ramificações, que envolvem cultura, entretenimento, games, gastronomia, moda, arquitetura, design, audiovisual... é uma das indústrias em expansão no mundo. No Brasil, 7,5 milhões de profissionais trabalham nessas áreas, 7% da força de trabalho, que geram quase R$ 300 bilhões anuais, ou seja, mais de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

"Os dados do setor apontam que essa indústria tende, de fato, a crescer muito mais em nossa cidade, sobretudo, devido a um amplo conjunto de ações, programas e projetos capitaneados pela prefeitura e por vários órgãos municipais - SALTUR, FGM, SECULT, SEMDEC, EDUCAÇÃO, SEMIT, Fundação Mario Leal Ferreira entre outras", comenta Isaac Edington, presidente da Saltur (Empresa Salvador Turismo).

O Agenda Bahia 2023 é uma realização do CORREIO, com patrocínio da Unipar, apoio institucional da Prefeitura de Salvador, FIEB, Sebrae e Rede Bahia, apoio da Wilson Sons, Salvador Bahia Airport, Suzano, Sotero, Solví, Salvador Shopping Online, Deloitte e 4events e parceria da Braskem, Rede+ e Latitude 13 Cafés.

Serviço:

O que: 14º Agenda Bahia - tema "Conectados"

Quando: 11/08, a partir das 8h

Onde: SENAI CIMATEC, em Piatã - Salvador

Inscrições no site www.agendabahiacorreio.com.br

Por Márcia Luz para o Estúdio Correio

Assinantura Estudio Correio
O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.