Edicase Brasil

7 alimentos vegetarianos ricos em cálcio para incluir na dieta

Conheça fontes vegetais deste mineral para manter uma alimentação saudável e livre de ingredientes de origem animal

  • Foto do(a) author(a) Portal Edicase
  • Portal Edicase

Publicado em 8 de maio de 2024 às 16:28

Imagem Edicase Brasil
Manter uma dieta equilibrada e rica em cálcio é essencial para a saúde dos ossos e do organismo (Imagem: KucherAV | Shutterstock) Crédito:

Manter uma dieta vegetariana equilibrada e rica em cálcio é essencial para a saúde dos ossos e do organismo em geral de pessoas veganas. Felizmente, existem diversas fontes vegetais deste mineral, capazes de fornecer as quantidades necessárias para suprir as necessidades diárias de quem se preocupa com a causa animal.

“Para a adequação de cálcio na alimentação, o importante é adotar o consumo regular de hortaliças (couve, espinafre, rúcula, brócolis – folhas verde-escuras preferencialmente), frutas, leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico), sementes trituradas (melão, abóbora, girassol), gergelim triturado, tofu, sardinha”, recomenda a nutricionista Eneida Ramos.

A seguir, confira 7 alimentos vegetarianos ricos em cálcio e entenda como eles podem contribuir para a sua saúde!

1. Tofu

O tofu, derivado da soja , se mostra como uma excelente fonte de cálcio, especialmente as versões enriquecidas. Uma porção de 100 g pode fornecer mais de 300 mg de cálcio, contribuindo significativamente para a ingestão diária recomendada. Versátil, pode ser grelhado, refogado, assado ou usado em sopas e saladas.

2. Couve

A couve, uma verdura verde-escura, é rica em nutrientes, incluindo o cálcio. Uma porção de 100 g dessa folha contém cerca de 150 mg de cálcio. Cozinhá-la levemente pode ajudar a reduzir seu amargor e preservar seus nutrientes, sendo ótima para refogados, sucos e saladas.

3. Amêndoas

As amêndoas são uma ótima opção de lanche saudável e fonte de cálcio. Uma porção de 30 g pode oferecer cerca de 75 mg de cálcio, além de ser rica em vitamina E , magnésio e ácidos graxos saudáveis. Adicionar amêndoas a saladas, granolas, ou consumi-las diretamente são maneiras práticas de enriquecer sua dieta.

Ainda, elas “possuem grande quantidade de nutrientes que provocam saciedade , são antioxidantes e ajudam a manter o nível de glicose estável, auxiliando o processo da queima de gordura”, explica a nutricionista Nathalia Bungenstab Sales.

4. Gergelim

As sementes de gergelim são pequenas, mas poderosas em conteúdo nutricional. Uma porção de 30 g pode fornecer mais de 270 mg de cálcio, sendo uma excelente opção para temperar pratos, adicionar a saladas, ou usar na forma de tahine, uma pasta tradicional do Oriente Médio.

Imagem Edicase Brasil
O brócolis é uma ótima fonte de cálcio (Imagem: 5 second Studio | Shutterstock) Crédito:

5. Brócolis

O brócolis é um vegetal que oferece uma série de benefícios para a saúde. Uma porção de 100 g fornece cerca de 50 mg de cálcio, além de vitamina C, fibras e antioxidantes. Cozinhe levemente para manter sua crocância e nutrientes e inclua em refogados, saladas ou sopas.

6. Feijão-branco

O feijão-branco é versátil e nutritivo, pode contribuir com até 160 mg de cálcio por xícara e ser usado em ensopados, saladas ou como base para pastas e patês. Também se trata de uma excelente fonte de fibras e proteína vegetal .

As proteínas “são responsáveis pela formação e manutenção dos tecidos celulares, síntese muscular, de anticorpos, enzimas, hormônios, neurotransmissores, no transporte de substâncias pelo corpo e são fonte de energia”, explica Alessandra Luglio, nutricionista e coordenadora do departamento de nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira.

7. Quinoa

A quinoa, grão rico em proteínas e aminoácidos essenciais, também contém cálcio. Uma porção de 100 g fornece até 60 mg de cálcio, além de ser uma fonte importante de magnésio e ferro. Experimente a quinoa em saladas, acompanhamentos ou como substituta do arroz.

“É muito proteica, fonte de vitaminas do complexo B, fibras e minerais. A qualidade de proteínas que possui é comparável às fontes de origem animal, não pela quantidade, mas pela união de vários tipos proteicos que oferecem tudo de que o organismo necessita”, explica a culinarista Guta Pudell.