Veja como reduzir os sintomas da menopausa

Veja como reduzir os sintomas da menopausa

Médica explica como reposição hormonal e hábitos de vida saudáveis podem diminuir os desconfortos dessa fase

  • Foto do(a) author(a) Portal Edicase
  • Portal Edicase

Publicado em 2 de maio de 2024 às 18:28

Imagem Edicase Brasil
A menopausa geralmente ocorre entre 45 e 55 anos (Imagem: Faizal Ramli | Shutterstock) Crédito:

A menopausa é um marco significativo no ciclo de vida de todas as mulheres, marcando o fim da fase reprodutiva. Este período traz consigo uma série de transformações biológicas e emocionais, que afetam a saúde e o bem-estar. Embora seja um processo natural, a maneira como cada mulher vivencia esse período pode variar significativamente, influenciada por fatores genéticos, estilo de vida e saúde geral.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a menopausa geralmente ocorre entre 45 e 55 anos, mas a idade média mundial é de 51 anos. Estudos também indicam que cerca de 1% das mulheres experimentam a condição antes dos 40 anos, um fenômeno conhecido como menopausa precoce ou falência ovariana prematura.

Sintomas da menopausa

A nutróloga Dra. Raquel Menezes explica que, durante a perimenopausa, que precede a menopausa, os níveis de estrogênio e progesterona flutuam significativamente, resultando em sintomas como ondas de calor – um dos sinais mais comuns e impactantes da transição menopausal –, suores noturnos e mudanças de humor.

Além disso, muitas mulheres experimentam sintomas urogenitais, como secura vaginal e desconforto durante relações sexuais, e emocionais e cognitivos, incluindo depressão e dificuldades com memória e concentração.

Imagem Edicase Brasil
Terapia de reposição hormonal ajuda a reduzir os sintomas da menopausa (Imagem: Photoroyalty | Shutterstock) Crédito:

Terapia de reposição hormonal

Um estudo publicado no Journal of Affective Disorders reporta que aproximadamente 20% das mulheres enfrentam depressão durante a perimenopausa, uma taxa significativamente maior do que em mulheres pré-menopausa.

Nesse contexto, a terapia de reposição hormonal (TRH) mostra-se como uma opção fundamental para aliviar esse sintoma. Ela envolve a administração de hormônios para compensar a diminuição na produção de estrogênio e progesterona. Os benefícios incluem alívio dos sintomas vasomotores, melhora da saúde urogenital e manutenção da densidade óssea, reduzindo o risco de osteoporose.

Quanto à densidade óssea, dados do National Osteoporosis Foundation indicam que mulheres podem perder até 20% desta nos cinco a sete anos após a menopausa, aumentando significativamente o risco de fraturas.

Dependendo das necessidades e preferências da paciente, a TRH pode ser administrada mediante pílulas, adesivos, géis ou anéis vaginais. Ainda, deve-se destacar que nem todas as mulheres podem aderir a ela. Aquelas com histórico de certos tipos de câncer, doenças cardíacas, trombose ou problemas hepáticos precisam discutir alternativas com seu médico.

Além disso, a terapia não deve ser vista como uma solução de longo prazo devido aos riscos associados, como um aumento leve no risco de câncer de mama e doenças cardiovasculares após uso prolongado.

Estratégias para lidar com a menopausa

O controle de peso, uma dieta equilibrada rica em cálcio e vitamina D e exercícios regulares também são fundamentais para gerenciar a menopausa de maneira saudável. Ainda, exames e acompanhamento médico se mostram essenciais para monitorar a saúde geral e ajustar o tratamento conforme necessário.

“A menopausa é uma fase natural que não precisa ser enfrentada com medo ou desconforto. Com as opções de tratamento disponíveis hoje, mulheres podem continuar vivendo vidas plenas e saudáveis. Consultar regularmente um profissional de saúde, discutir sintomas e tratamentos disponíveis e manter um estilo de vida saudável são os melhores passos que uma mulher pode tomar durante esta transição significativa em sua vida”, conclui a Dra. Raquel Menezes.

Por Roneia Forte