Conheça as características que fazem da Bahia a maior produtora de manga do país

Estado tem maior área plantada do país com mais de 20 toneladas produzidas de manga por hectare

  • L
  • Larissa Almeida

Publicado em 14 de novembro de 2023 às 14:00

Manga baiana combina técnicas para
Manga baiana combina técnicas para Crédito: Alex Dantas/Divulgação

Dos 1.110 hectares de terra de propriedade da Agrodan, maior empresa brasileira produtora e exportadora de manga, 500 hectares se concentram nos municípios baianos de Abaré e Curaçá, no norte do estado. É lá que Paulo Dantas, diretor comercial da empresa, contabiliza o faturamento de aproximadamente R$85 milhões advindos da produção de 17,5 mil toneladas de mangas por ano, que emprega cerca de 780 pessoas que trabalham nos solos baianos.

A força da produção da Agrodan na Bahia reflete um cenário propício ao cultivo da mangueira no estado. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Bahia possui a maior área plantada com manga no Brasil, com cerca de 32,4 mil hectares em 2022. 

Para João Ricardo Lima, doutor em Economia e pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Semiárido com atuação no Observatório da Manga e Uva, a produtividade é um dos fatores que contribuem para a empreendimento bem-sucedido que é cultivar manga em terras baianas. “A Bahia tem a segunda maior produtividade nacional, com mais de 20 toneladas produzidas de manga por hectare. A combinação de elevada produtividade e maior área torna o estado o maior produtor nacional e o maior exportador nacional de mangas”, afirma.

O cultivo da fruta é marcado pelo uso da tecnologia em suas técnicas e estratégias, tais como o uso de equipamentos com infravermelho, que permite medir o nível de maturação da fruta ainda no pé com intuito evitar a colheita tardia.

Ainda, outras técnicas, como a de irrigação através de gotejamento e de micro aspersores, combinadas com as condições climáticas favoráveis como alta radiação solar, luminosidade e baixa pluviosidade, diminuem as chances de problemas com praga e doenças, o que, por sua vez, favorece a produção da mangueira.

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro