Conheça os peixes mais consumidos pelos baianos; preços variam de R$12 a R$50

Preferida dos baianos, corvina lidera lista

  • Foto do(a) author(a) Larissa Almeida
  • Larissa Almeida

Publicado em 20 de março de 2024 às 05:15

Peixes para a Semana Santa Crédito: Marina Silva/CORREIO

Se houvesse uma coroação dos peixes mais consumidos pelos baianos, a corvina seria a rainha entre os pescados. Predileta entre as opções para a Semana Santa, ela também é consumida para além de ocasiões especiais e sua popularidade é fácil de ser explicada. “É um peixe gostoso e bom. Todo mundo come hoje, tanto pobre como rico. É barato, pega bem tempero e é bom para os restaurantes populares. Vendemos muito para peixarias pequenas de bairro, que revendem. É a base das vendas. Na Semana Santa, é só o ápice”, destaca Cezar Santana, de 60 anos, proprietário da Sol & Mar Peixaria, estabelecimento localizado no início da Ladeira da Água Brusca, no Comércio.

No boxe 12 do Mercado de Água de Meninos, o permissionário Eder Fernando, 40 anos, também se rende à corvina. Por lá, o peixe está sendo vendido por R$22 nos dias que antecedem a Semana Santa, mas pode ser encontrado por R$18 na peixaria Telemariscos. Além do pescado famoso, o peixe vermelho, a pescada-amarela e o robalo também são bastante procurados, custando R$35, R$40 e R$40, respectivamente.

Por sua vez, no boxe do permissionário Cleberson Cavalcante, 23 anos, a corvina pode ser encontrada por R$22. Outro peixe comumente procurado e consumido também na Semana Santa, a arraia é vendida por R$17. Lá, também é vendido o badejo com o preço mais em conta, no valor de R$38.

Além da pescada-amarela e da corvina, outros peixes que entram na preferência dos baianos são o badejo e o vermelho. Juntos, os quatro lideram a procura no boxe do permissionário Antônio Silva, 54 anos, que trabalha no local há 38 anos. “Aqui, o vermelho está por R$45, badejo sai por R$40, pescada-amarela sem cabeça por R$55 e com cabeça R$55”, detalha.

Na peixaria Telemariscos, a reportagem encontrou alguns dos peixes produzidos na Bahia que são de consumo no dia a dia, como o dourado, cavala, olho-de-boi e cabeçudo. Eles custavam R$28. No estabelecimento, o preço mais barato entre os peixes pesquisados também foi encontrado: a arraia no valor de $12.

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro