PRISÃO DE EX-VICE PRESIDENTE

México suspende relações diplomáticas com Equador após invasão de embaixada

A decisão foi comunicada pelo presidente López Obrador em uma rede social

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 6 de abril de 2024 às 08:49

Decisão foi comunicada pelo presidente López Obrador em uma rede social Crédito: Divulgação

O governo do México anunciou na madrugada deste sábado (6) a suspensão das relações diplomáticas com o Equador após policiais invadirem a embaixada mexicana em Quito. A decisão foi comunicada pelo presidente López Obrador em uma rede social.

A invasão policial aconteceu para prender Jorge Glas, ex-vice-presidente do Equador condenado a seis anos de prisão por corrupção, segundo a Associated Press, ocorreu na noite de sexta-feira (5).

Glas estava na embaixada desde dezembro 2023 após receber asilo político do México. Ele diz ser vítima de uma perseguição da Procuradoria-Geral do Equador.

"Instruí o nosso chanceler a emitir uma declaração sobre este ato autoritário, proceder legalmente e declarar imediatamente a suspensão das relações diplomáticas com o governo do Equador", escreveu López Obrador. Em uma rede social, o presidente mexicano

Ele disse ter sido informado da invasão pela Secretária de Relações Exteriores. 

Na noite de sexta-feira, 5, a polícia equatoriana arrombou as portas externas da sede diplomática mexicana em Quito e entrou no pátio principal para capturar Glas. O ex-vice-presidente, provavelmente o homem mais procurado do Equador, foi condenado por suborno e corrupção. As autoridades equatorianas ainda investigam mais acusações contra ele.

"Isso não é possível, não pode ser, isso é uma loucura", disse à imprensa local, Roberto Canseco, chefe da seção consular mexicana em Quito, enquanto estava do lado de fora da embaixada. "Estou muito preocupado porque eles podem matá-lo. Não há base para fazer isso."

Defendendo a sua decisão, a presidência do Equador disse em um comunicado: "O Equador é uma nação soberana e não vamos permitir que nenhum criminoso permaneça em liberdade".

Alicia Bárcena, secretária de relações exteriores do México, postou no X, antigo Twitter, que vários diplomatas sofreram ferimentos durante a invasão, acrescentando que a ação violou a Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas.

Bárcena disse que o México levaria o caso ao Tribunal Internacional de Justiça "para denunciar a responsabilidade do Equador pelas violações do direito internacional". Ela também disse que os diplomatas mexicanos estavam apenas esperando que o governo equatoriano oferecesse as garantias necessárias para o seu retorno ao país de origem.

A embaixada mexicana em Quito permaneceu sob forte guarda policial na noite de sexta-feira.

Um dia antes, na quinta, as tensões entre os dois países aumentaram depois de o presidente do México ter feito declarações que o Equador considerou "muito infelizes" sobre as últimas eleições, vencidas pelo presidente equatoriano Daniel Noboa.

Em reação, o governo equatoriano declarou o embaixador mexicano persona non grata.