Afro Fashion Day terá produções de estudantes do Instituto ACM

bazar
04.11.2017, 20:59:00
Algumas das criações dos estudantes do Instituto ACM, que vão compor o desfile do AFD (Fotos: Divulgação)

Afro Fashion Day terá produções de estudantes do Instituto ACM

Luciana Galeão, designer há 20 anos e dona da marca que leva o seu nome, orienta o grupo de costureiras, estudantes de moda e outros profissionais que terão os produtos selecionados para o AFD

Profissionais de moda e da arte que participam como estudantes do projeto Bahia Revoluções Criativas (BRV), do Instituto ACM, terão suas produções criadas nas aulas do curso Armazém da Moda na passarela da terceira edição do Afro Fashion Day (AFD), evento do CORREIO que celebra o mês da Consciência Negra. A iniciativa, que tem apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador e patrocínio da Avon, vai ocorrer no dia 18 de novembro, das 10h às 20h, no Porto Salvador (Avenida da França, 393), no Comércio, dando visibilidade para modelos negros, a cultura afrobrasileira e os trabalhos de marcas locais. 

Um dos trabalhos dos estudantes do IACM com reaproveitamento de jeans

De jaquetas trabalhadas com chita à reutilização de jeans e couro, passando pelo reaproveitamento de linhas que seriam jogadas fora, os artesãos, costureiras, estilistas e artistas do projeto construíram peças únicas e sustentáveis que irão passar pela curadoria do produtor de moda do AFD, Fagner Bispo e integrar looks do desfile. “Escolherei as peças que dialogam com as das marcas. É preciso que fiquem harmônicas e não de forma aleatória”, revelou Bispo. Os produtos também estarão disponíveis para venda na Feira Colaborativa que integra o evento.

“Os cursos promovidos pela BRV são gratuitos e voltados para pessoas de todas as comunidades de Salvador. Estamos capacitando cortadores, costureiras, designers, alfaiates, com encontros semanais. O foco do projeto é o fomento e a requalificação de profissionais da área de economia criativa”, conta Lili Bião, da equipe de comunicação do Instituto ACM. Ela compartilhou ainda que as peças se conectam aos quatro elementos (ar, água, fogo e terra), tema do Afro Fashion Day neste ano. “Tem uma coleção só sobre o sertão, que faz referência a terra. Assim como temos muitas coisas sobre o mar, que remete a água”. 

Uma das alunas do IACM em ação: o foco do projeto é a requalificação de profissionais da área da economia criativa

Luciana Galeão, designer há 20 anos e dona da marca que leva o seu nome, orienta o grupo de costureiras, estudantes de moda e outros profissionais que terão os produtos selecionados por Bispo. “Nas aulas, temos de entender o passo a passo do desenvolvimento de produto, a definição de público alvo, tema, elaboração, planejamento, controle de produção e formação de preço. Tudo que é necessário desde o pensamento do produto, até a maneira de colocar no mercado”. Para ela, exibir estas roupas e acessórios no AFD “surge como uma oportunidade” para que essas pessoas possam expor suas criações em um evento de grande porte. “Os estudantes terão ainda acesso ao backstage do Afro Fashion Day, o que é muito bacana”, aponta ela. 

O AFD 2017 traz produções de 40 marcas baianas de acessórios, turbantes, roupas e calçados. A maquiagem é assinada por Dino Neto e equipe. Serão cerca de 90 pessoas na passarela, entre modelos de nove agências de Salvador e oito modelos não agenciados, escolhidos em cinco seletivas em bairros, além dos convidados confirmados: Rafa Dias, do Attoxxa, DJ Raiz e Luã Faya, do Clube do Ragga.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas