Armandinho do Acordeon discute auxílio emergencial para forrozeiros na Câmara

brasil
29.06.2021, 13:57:06
(Foto: Divulgação)

Armandinho do Acordeon discute auxílio emergencial para forrozeiros na Câmara

Setor junino sofre com o segundo ano sem São João

A situação dos forrozeiros e de outros integrantes da indústria do São João foi discutida na Câmara dos Deputados nesta segunda-feira (28). Armandinho do Acordeon, vocalista da banda Fulô de Mandacaru, foi quem representou os artistas na audiência, liderada pelas deputadas baianas Lídice da Mata e Alice Portugal.

Em pauta estava, principalmente, os avanços obtidos em um experimento em Pernambuco, onde um auxílio emergencial de até R$ 15 mil foi pago aos artistas.

"A nossa intenção é levar esse projeto para todo o Nordeste. Já agendamos um encontro com o consórcio de governadores da região para ajudar não só os artistas, mas todas as associações, empresas, donos de trio e outros trabalhadores afetados", conta ele, lembrando que 2021 é o segundo ano seguido sem festa junina. Assista o debate:

Além disso, os artistas também pedem a criação de uma linha de crédito e o pagamento de R$ 27 milhões via Lei Aldir Blanc. Veja todas as propostas defendidas por Armandinho.

  1. Criação de auxílio emergencial, durante a pandemia, para artistas que atuam nas festividades Juninas, no percentual de 30% conforme sua comprovação de cachê.  
  2. Criação de auxílio emergencial, durante a pandemia, no valor de R$ 600,00 para os atores culturais diversos das festividades juninas (músicos, roadies, técnicos, trios de forró, bandas de pífanos, grupos de bacamarteiros, quadrilhas juninas, etc). 
  3. Criação de auxílio emergencial para Empresas, Associações e MEI´s de Forrozeiros, Trios Pé de Serra, e demais atores culturais, com o objetivo de sanar débitos e/ou parcelamentos sem juros. 
  4. Melhoria no processo de contratação das linhas de crédito ofertadas (PRONAMPE / FUNGETUR / PERSE), por parte dos bancos autorizados, tendo em vista que o processo burocrático para adesão às linhas de crédito está inviabilizando a contratação. 
  5. Liberação da segunda parcela da Lei Aldir Blanc que retornou aos cofres do Governo Federal, visando o repasse aos municípios e estados.  
  6. Criação de Projeto de Lei que autorize a contratação de live-show por parte dos municípios e estados durante a pandemia. As lives-shows estarão em cumprimento de todas as normas sanitárias vigentes.

"Desde o ano passado, toda a cadeia de eventos ligados às festas juninas foi prejudicada. E nós, os artistas, fomos os mais prejudicados, pois a grande parte do nosso lucro anual vem neste período entre março e agosto, período dos festejos juninos", conta o artista.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas