Associações realizam ato em defesa do Arquivo Público da Bahia nesta terça (30)

salvador
30.11.2021, 19:15:00
(Divulgação/Tom França)

Associações realizam ato em defesa do Arquivo Público da Bahia nesta terça (30)

Ato reuniu cerca de 300 pessoas, entre pesquisadores, professores e estudantes na Baixa de Quintas

Cerca de 300 pessoas convocadas pela Associação Nacional de História e a Associação dos Arquivistas da Bahia realizaram, na tarde desta terça-feira (30), na Baixa de Quintas, um ato em defesa do Arquivo Público do Estado da Bahia (Apeb). 

Nomeada como ‘O patrimônio da Bahia não está à venda’, a iniciativa reuniu pesquisadores e professores da Ufba, Uneb, Uesb, UFRB, além de representantes do movimento estudantil, lideranças de movimentos sociais e a sociedade civil. 

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1949, o prédio do Apeb foi inserido em um processo de penhora e só não foi leiloado graças a uma manifestação do Ministério Público (MP) junto à Justiça, que suspendeu o leilão temporariamente.

(Divulgação/Tom França)

Um dos participantes do ato, Vilson Caetano, pesquisador, antropólogo e professor da Ufba, falou sobre o objetivo da iniciativa.

“É um momento marcado pela ameaça à democracia, a privatização de órgãos públicos, desmonte da educação, retrocesso em conquistas sociais e um completo descaso com o patrimônio histórico brasileiro. Esta mobilização é uma maneira de enfrentar e dizer não a uma política de negação e encobrimento de nossas histórias que teima em ser instaurada no Brasil”, declara. 

O ato serviu para colocar em pauta a importância do Arquivo Público e denúncias sobre o descaso com um bem público relevante para a memória, a identidade e a história da Bahia e do Brasil. Marli Geralda Teixeira, professora da Ufba e  ex-diretora do Apeb, discursou sobre a convergência dos dois patrimônios - acervo do arquivo e prédio, desde 1980. 

Os participantes também deram um abraço simbólico no Arquivo Público. Segundo os organizadores do evento, o ato é apenas uma dentre muitas ações que as entidades visam mover e mobilizar a sociedade civil para conter a ação de leiloar o patrimônio arquitetônico.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas