Atividades não essenciais abrirão com dias e horários alternados em Salvador; entenda

salvador
27.03.2021, 06:00:00
Atualizado: 27.03.2021, 08:04:53
(Tiago Caldas/Arquivo CORREIO)

Atividades não essenciais abrirão com dias e horários alternados em Salvador; entenda

Retorno está previsto para o dia 5 de abril

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma reunião na tarde dessa sexta-feira (26) entre o prefeito Bruno Reis (DEM) e os diversos setores da economia marcou o primeiro dia de negociações para a volta completa da atividade comercial na capital baiana. Na ocasião, foi apresentada pela prefeitura uma sugestão de protocolo de retomada. Os detalhes ainda estão sendo definidos e a divulgação oficial vai acontecer até essa quarta-feira (31). No entanto, o CORREIO apurou que a volta com horários escalonados e dia alternados de funcionamento, já a partir de 5 de abril, é uma realidade palpável que foi bem recebida pelos presentes na reunião. 

“No geral, todos concordaram, pois essa é a cota de sacrifício que cada segmento vai ter que enfrentar para voltar a trabalhar. Mas ainda estamos negociando alguns detalhes, principalmente no que diz respeito ao horário de fechamento de algumas atividades”, disse uma pessoa presente na reunião, que preferiu não ser identificada.  

Na proposta da prefeitura, os shoppings vão abrir somente de terça-feira a sábado; bares e restaurante de quarta-feira a domingo; comércio de rua em cinco dias na semana (não definidos); e construção civil e funcionalismo público de segunda-feira a sexta-feira. Os horários de entrada em cada setor também serão diferenciados. Segundo o apurado pelo CORREIO, às 7h vai abrir funcionalismo público e construção civil, às 10h shoppings e às 11h bares e restaurantes. Sobre o horário de fechamento, comércio de rua é previsto ser até às 17h e 18h, shoppings às 19h e bares e restaurantes às 20h.  

Essas informações, no entanto, ainda podem mudar, pois uma nova reunião deve acontecer nesse sábado com mais representantes dos segmentos. Reis também pretende conversar sobre o assunto com os prefeitos da Região Metropolitana de Salvador (RMS) e o governador Rui Costa (PT). A ideia é que seja tomada uma decisão conjunta.  

Segundo os presentes, o horário previsto para fechamento de bares é o principal problema, uma vez que boa parte das vendas do setor são feitas durante a noite. Na reunião, não foi tocado no assunto praia. Até o momento, não há previsão de quando as praias da capital baiana poderão ser frequentadas. Esse é um ponto que também chama atenção dos diferentes segmentos da economia. Na avaliação deles, a orla de Salvador é o que atrai mais turistas para a cidade e, consequentemente, aumenta suas vendas. 

Sem aglomeração 
Numa entrevista coletiva realizada pela manhã, quando anunciou o retorno das atividades a partir do dia 5 de abril, Bruno Reis disse que a alternância no horário de abertura e encerramento das atividades econômicas é para evitar aglomeração no transporte público. “Até o meio da semana nós vamos anunciar se será possível retomar todas as atividades de vez, que é o meu desejo, mas depende dos números. Com certeza, shoppings, comércio de rua e as principais atividades serão retomadas no dia 5, com horários escalonados e dia alternados de funcionamento”, afirmou. 

No ano passado, as atividades consideradas não essenciais ficaram suspensas por quatro meses, de 16 de março a 24 de julho. Este ano, alguns setores estão sendo impactados há quase um mês. “Salvador sinaliza que dia 5 de abril vai abrir as atividades comerciais. Essa é uma grande conquista diante do cenário que estamos enfrentando”, disse 

Sobre a reabertura das praias, Bruno afirmou que algo será anunciado na próxima semana, mas também é dependente dos números da pandemia, como a taxa de ocupação dos leitos de UTI e o tamanho da fila da regulação. Nesta sexta-feira, a cidade amanheceu com 21 pacientes aguardando nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) por um leito de UTI. Esse é o menor número dos últimos dias. Há duas semanas eram 87 pessoas nessa situação. Outros 25 esperavam, hoje, por uma acomodação na enfermaria. A taxa de ocupação dos leitos de UTI é de 86%. 

O prefeito falou também sobre a possibilidade de autorizar eventos na cidade. Ele afirmou que a retomada desse segmento está condicionada à vacinação, e será permitida somente depois que a imunização dos quatro grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde estiver concluída. No momento, Salvador está imunizando o segundo grupo. 

O primeiro grupo era de pessoas com 75 anos ou mais, e já foi concluído. O segundo grupo é de idosos de 60 a 74 anos. Salvador vai começar a imunizar moradores de 66 anos nesse sábado (27). Depois, virá o terceiro grupo, composto por pessoas que têm comorbidades, independentemente da idade. Por último estão profissionais da educação, transporte, limpeza e segurança.

* Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas