Bahia pede para Anvisa autorizar importação da Sputnik V

bahia
09.04.2021, 20:24:00
Atualizado: 09.04.2021, 20:24:30
(Foto: Pavel Korolyov/AFP)

Bahia pede para Anvisa autorizar importação da Sputnik V

Anvisa vai fazer vistoria em fábricas russas na próxima semana

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Bahia fez um novo pedido formal à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitando que o órgão libere a importação da vacina russa Sputnik V para ser aplicada em território nacional. Outros 9 estados também formalizaram o pedido para a Agência Reguladora:  Acre, Rio Grande do Norte, Maranhão, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Pernambuco, Sergipe, Rondônia e Pará.

A Anvisa, por sua vez, afirmou que irá inspecionar as fábricas da vacina na Rússia durante a próxima semana com o objetivo de checar as boas práticas de fabricação do imunizante além de levantar os dados faltantes sobre a produção da vacina que não importantes para avaliação do uso emergencial e importação.

Duas instalações serão vistoriadas. Primeiro, entre os dias 15 e 21 de abril com  três servidores da Anvisa na fábrica responsável pela produção do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) e da vacina finalizada.

A segunda inspeção está prevista para o período de 19 a 23 de abril e acontece na empresa responsável pelas etapas finais de envase e embalagem. 

"As datas das inspeções foram definidas em função da disponibilidade do Fundo Russo que solicitou que a inspeção tivesse início no dia 15 de abril para que houvesse tempo de preparar a documentação necessária para a condução da inspeção", disse a Anvisa

A Anvisa afirma que a liberação ainda não aconteceu porque precisa avaliar uma série de documentações preconizadas pela Lei nº 14.124/2021, sobre as medidas excepcionais relativas à aquisição de vacinas e de insumos. 

Em nota, A Anvisa afirmou que o Certificado de Registro emitido pelo Ministério da Saúde da Rússia não veio acompanhado de relatório técnico, que ateste os aspectos de qualidade, segurança e eficácia da vacina que subsidiaram a decisão da autoridade estrangeira.

O Governo da Bahia alega que a Sputnik V tem registro para uso pelo Ministério da Saúde da Federação Russa e já está em uso em mais de 50 países, sem casos de reações adversas. A vacina também foi observada em um artigo científico publicado na revista científica Lancet.

Procurado, o governo Estadual afirmou que está providenciando a entrega da documentação solicitada para agilizar o processo de liberação. 


 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas