Bolsonaro ironiza denúncia sobre propina na Saúde: 'hoje na CPI foi bonito'

brasil
01.07.2021, 22:52:58
(Reprodução)

Bolsonaro ironiza denúncia sobre propina na Saúde: 'hoje na CPI foi bonito'

Presidente voltou a atacar os parlamentares de oposição que compõem a comissão

O presidente Jair Bolsonaro elogiou a participação, na CPI da Covid nesta quinta-feira (1º), de Luiz Paulo Dominguetti, apontado por reportagem da Folha de S.Paulo como autor da denúncia da cobrança de US$ 1 de propina em troca de assinatura de contrato de aquisição de vacinas AstraZeneca pelo governo federal.

"Hoje na CPI foi bonito, hein. Que corrupção é essa? A própria empresa diz que o preço praticado pelo Brasil era o mesmo de treze outros países", disse Bolsonaro durante transmissão semanal pela internet. O presidente também afirmou que a comissão não serviu para reduzir o número de mortes por covid. "É só um inferno o tempo todo, tentando de toda maneira atingir o governo", afirmou.

O presidente atacaou  os senadores de oposição que compõem a comissão e ironizou ao dizer que o então representante da empresa Davati Dedical Suply relatou uma "propininha de R$ 2 bilhões".

Ele seguiu com críticas. "O que a CPI contribuiu para evitar ou diminuir o número de mortes? O que eles fizeram? Nada. É só um inferno o tempo todo, tentando de toda maneira atingir o governo", disse durante sua live nas redes sociais. 

"(Dominguetti) falou que foi procurado para uma propina, pouca coisa, 400 milhões de doses. US$ 1 por dose, uma propininha de R$ 2 bilhões de reais. Ele não aceitou. E depois cita o nome de um deputado. Vocês acham que deputado é esse né?", disse o presidente nesta quinta-feira (1º), disse.

Dominguetti, que é policial militar, acusou o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) de participar de negociação por vacinas e apresentou áudio no qual o parlamentar supostamente fala da comercialização de imunizantes. No entanto, o depoente admitiu não ter certeza em que contexto o parlamentar enviou a mensagem de voz.

Miranda alega ter alertado Bolsonaro para irregularidades no contrato de compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde. Os avisos, no entanto, teriam sido ignorados. Ele chamou Dominguetti de "cavalo de Troia" colocado pelo governo para descredibilizar denúncias de corrupção.

O presidente negou que tenha relações com Dominguetti e voltou a atacar a CPI. "Não conheço o PM de Minas Gerais, mas essa CPI está contribuindo para quê? Podia estar discutindo coisas importantes, estar ajudando o governo", disse aos gritos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas